quinta-feira, 28 de março de 2013

O Vento




O cipreste inclina-se em fina reverência
e as margaridas estremecem, sobressaltadas.

A grande amendoeira consente que balancem
suas largas folhas transparentes ao sol.

Misturam-se uns aos outros, rápidos e frágeis,
os longos fios da relva, lustrosos, lisos cílios verdes.

Frondes rendadas de acácias palpitam inquietantemente
com o mesmo tremor das samambaias
debruçadas nos vasos.

Fremem os bambus sem sossego,
num insistente ritmo breve.

O vento é o mesmo:
mas sua resposta é diferente, em cada folha.

Somente a árvore seca fica imóvel,
entre borboletas e pássaros.

Como a escada e as colunas de pedra,
ela pertence agora a outro reino.
Se movimento secou também, num desenho inerte.
Jaz perfeita, em sua escultura de cinza densa.

O vento que percorre o jardim
pode subir e descer por seus galhos inúmeros:

ela não responderá mais nada,
hirta e surda, naquele verde mundo sussurrante.


Cecília Meireles



18 comentários:

  1. Oi Maria muita paz, vim te visitar e encontrei esta poesia linda de cecilia meireles. Uma feliz páscoa, abraços Celina.

    ResponderEliminar
  2. Maria,
    Que lindo o poema de Cecília e a foto que você escolheu!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  3. Um poema e uma foto coordenados em movimento.
    Gosto muito da poesia desta nossa escritora Cecília Meireles

    ResponderEliminar
  4. Passando para desejar uma Santa Páscoa.
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  5. oi minha amiga,

    o vento me traz lembranças,
    sempre assim,
    as vezes deliciosas,
    as vezes nem tanto...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Olá Maria.
    Que lindo texto de Cecília Meireles, adorei.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  7. Um belo poema da Cecília Meireles.

    O vento que afasta borboletas e pássaros mas deixa ficar imóvel a árvore.

    Beijinho e boa Páscoa

    ResponderEliminar
  8. Não conhecia essa poesia tão bela de Cecília Meireles.

    Carol
    Um blog simples
    Facebook

    ResponderEliminar
  9. Oi querida, Cecilia é sempre uma otima escolha, nos faz viajar a imaginaçao.
    Bjks e uma feliz pascoa.

    ResponderEliminar
  10. A brisa e o vento vêm e vão; tudo envolvem na sua correria.
    Impassível àrvore que não teme o soprar das tempestades, ficando hirta e firme no seu lugar.
    Um bom Poema.
    Parabéns.


    Beijos



    SOL

    ResponderEliminar
  11. Um bucolismo arrepiante numa poética tão linda. Nada melhor para uma Pascoa Doce
    Maria
    e alagre
    È o que te desejo
    Muitos beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Cecília é uma estrela com brilho próprio!
    Linda Páscoa pra você, Maria!
    Bjosbjos.

    ResponderEliminar
  13. Amiga querida, este poema é uma brisa.
    Tocou minha alma, alegrou-me, uma inspiração, diria.
    Um abraço, beijos.

    ResponderEliminar
  14. Boa noite amiga doce!!!!
    Feliz Páscoa!
    Que Deus o abençoe nesta Páscoa, e que essa benção dure o ano todo. Que Deus te dê toda a fé que ainda falta para tornar todos os seus sonhos em realidade. Que a sua sabedoria e amor estejam sempre presentes para guiá-lo em seu caminho. Que a luz de Cristo brilhe todos os dias para inspirar sua vida. Que esta seja uma páscoa cheia de bênçãos, com muita fé e alegria.
    Bjs com recheio de carinho !!!!!

    ResponderEliminar
  15. Amiga Maria! Eu adoro Cecilia,este poema é magnifico e de rara beleza...gostei muito.
    Beijinhos e Feliz Páscoa

    ResponderEliminar
  16. Essa flor aqui tem o nome de Papoula. E aí?

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.