segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Divagando por Évora


Este ano fomos ver o nascer do novo Ano em Évora, a Cidade-Museu.




Ficamos no Hotel M'ar de Ar  Muralhas um local acolhedor, com charme e excelentemente localizado no Centro Histórico de Évora.




Declarado Património Mundial pela UNESCO em 1986, o Centro Histórico de Évora situa-se dentro das muralhas e é formado por ruas estreitas, pátios, travessas, largos, igrejas e jardins.





Já tinha visitado esta linda cidade e os seus principais pontos turisticos mas desta vez foi diferente, pois decidimos também andar a pé pelas suas ruas e travessas, descobrindo assim todo o seu encanto.




Começámos a nossa visita no sábado à noite, com uma voltinha até à Praça do Giraldo, onde nos esperava uma grande árvore de Natal e uma enorme fogueira, à volta da qual as pessoas se iam aquecendo e conversando.





No Domingo, o nosso programa iniciou-se com uma paragem na Praça do Giraldo, para beber um café no Café Arcada. Estava um sol agradável e soube bem poder apreciar, todo o movimento desta simpática praça, enriquecida por uma belissima fonte em mármore branco, rematada por uma coroa de bronze. Obra do arquitecto Afonso Álvares, foi construída possivelmente entre 1571 e 1573.





Após o café e ainda na Praça do Giraldo, fomos visitar a Igreja de Santo Antão. Esta igreja foi mandada construir pelo Cardeal D.Henrique, Arcebispo de Évora, tendo a sua construção começado em 1557. É muito bonita, apresentando vários altares de talha dourada.





Da Praça do Giraldo partem imensas ruas. Subimos pela Rua 5 de outubro até à Sé de Évora. Estavam paradas no largo duas charretes e decidimos continuar o dia, com uma voltinha de charrete. É um belo passeio, que percorre os principais pontos do Centro Histórico da cidade.





De regresso à Sé fomos visitar logo ao lado, no Largo do Conde de Vila Flor, o Museu de Évora. Ocupa o antigo Palácio Episcopal. As suas origens remontam a 1804, quando o arcebispo de Évora Frei Manuel do Cenáculo, coleccionador ecléctico, criou a Biblioteca Pública de Évora, onde também abrigou uma colecção de arte. Oficialmente, porém, o Museu de Évora foi criado em 1915.






O Museu tem cerca de 20000 objectos, incluindo peças de arqueologia, pintura, escultura, desenho, ourivesaria, cerâmica, mobiliário e texteis.





Apresentava a exposição "Entre a Seda e o Ouro", onde se encontra um conjunto de várias peças dos séculos XVI a XVIII, maravilhosamente trabalhadas em ouro e seda, símbolos de luxo e poder económico dessa época.





Em frente ao Museu, fica o Templo de Diana, templo romano construído no início do século I, d.C. Breve paragem no Jardim de Diana em frente ao Templo.




Pequeno mas simpático, ao centro encontra-se o monumento com o busto do Dr. Francisco Barahona, grande benemérito da cidade.






O jardim oferece uma excelente vista sobre a cidade e a planície.




Hora de almoço. Paragem para apreciar a boa comida alentejana. O restaurante escolhido foi o D. Joaquim. Excelente!
Voltando à nossa caminhada a primeira paragem depois do almoço foi a Sé Catedral.




Em estilo gótico é consagrada a Santa Maria e foi construída entre os séculos XIII e XIV.




A visita começa por uma subida até à Torre. São muitas escadas em caracol, mas vale o esforço.






A vista lá de cima é espetacular.







Descemos e prosseguimos a visita pelos claustros e jardim interior.




Nos claustros entrámos por uma pequena porta e subimos novamente, por umas escadas em caracol, tambem muito estreitas, que iam dar a um terraço por cima dos claustros e à volta do jardim interior.






Por fim, foi a vez de visitar o interior da capela-mor.







Terminada a visita à Sé, descemos a Rua 5 de outubro, onde o comércio tradicional é uma constante.




Ao atravessarmos a Praça do Giraldo o Pedro lá foi ver novamente a fogueira.




Parámos para observar a bela fachada da Igreja da Graça, obra do arquitecto Miguel de Arruda, tendo nela também trabalhado Nicolau de Chanterene, notável escultor francês do século XVI. Não deu para ver o interior, pois infelizmente encontrava-se fechada, à semelhança da maioria das outras igrejas.





Seguimos para a Igreja de S. Francisco. Esta Igreja foi reconstruída a partir do reinado de D. João II e terminada na época de D. Manuel. A sua arquitectura e decoração mistura os estilos gótico, mudéjar e manuelino.





Mesmo ao lado, visita obrigatória à Capela dos Ossos. Foi construída no século XVIII, por iniciativa de três monges que pretendiam transmitir a mensagem da transitoriedade da vida. É inteiramente forrada com ossos humanos provenientes dos cemitérios, situados em igrejas e conventos da cidade. É conhecida pela famosa frase escrita à entrada: "Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos".




Já tinhamos andado bastante e o dia estava a terminar, era hora de ir para o hotel.



Na Segunda feira o dia acordou com nevoeiro, mas isso não me iria impedir de continuar a descobrir as ruas e património de Évora.




Subi pela rua dos Mercadores até ao Largo de Giraldo, passei pela Igreja de S. Vicente e fui até ao Largo das Portas de Moura, onde se encontra uma bela fonte renascentista do século XVI, obra de Diogo de Torralva, mandada erigir pelo maior mecenas da cidade, o Cardeal-Rei D. Henrique. O seu chafariz era um dos principais pontos de abastecimento de água na cidade antiga.





Continuei pela Rua Conde da Serra da Tourega até ao Largo do Colégio.





Com o nevoeiro, a paisagem torna-se um pouco misteriosa, quase que dava a sensação de estarmos no passado.




Breve paragem junto à Igreja e Pousada dos Loios.






Fui descendo passando por várias ruas até chegar ao Jardim Público de Évora. Foi construído por iniciativa municipal entre 1863 e 1867, sendo um projecto do arquitecto-cenógrafo italiano José Cinatti.






No centro, o coreto, construído em 1887, lembra os concertos musicais de outras épocas.




Do Palácio de D. Manuel, monumento Nacional datado do século XVI, sobreviveu apenas a chamada Galeria das Damas, em que se misturam influências do gótico-mudéjar, manuelino e renascentista. Foi neste palácio, que Vasco da Gama foi investido, no comando da esquadra da Descoberta do caminho marítimo para a Índia.




Antes de ir almoçar, ainda fui até uma das entradas da cidade, a Porta do Raimundo.




Depois de almoço prosseguimos ao longo das muralhas.





Fomos até à Porta da Lagoa e como cartão de visita do lado esquerdo vimos o Aqueduto de Évora. O Aqueduto da Água de Prata, foi construído entre 1531 e 1537 pelo arquitecto Francisco de Arruda. Originalmente levava a água até à Praça do Giraldo.




Como ficam com charme as casas por debaixo dos arcos do aqueduto.




Numa das arcadas do aqueduto que dava para uma tranquila praceta, encontrámos esta fonte com o brasão de armas de Évora.



Continuámos a seguir a Rua do Cano, que acompanha o aqueduto até mesmo ao seu inicio.



Mais à frente, a calma e bela praça de Sertório. Aqui fica a Câmara Municipal de Évora, uma construção do século XIX e ao fundo a Igreja do Salvador do Mundo do século XVII.




O dia estava a terminar e começava a arrefecer bastante, era a altura certa para terminar a visita. Chegou a noite e com ela o final de ano. Foi um jantar muito agradável, com excelente comida e boa companhia. Foi uma noite especial.




Foi um jantar muito agradável, com excelente comida, boa disposição e alegria.






Uma noite especial, numa belíssima cidade. Évora é história, encanto e charme, uma cidade que adoramos visitar!




O tempo passa inexorávelmente por todos nós, e como o gostariamos de acelerar nos maus momentos e parar nas alturas especiais, mas isso não é possível.  Há que viver e aproveitar o melhor possivel os bons momentos, que o presente por vezes nos oferece e retê-los na memoria, para aliviar o coração e a alma com a sua recordação, quando as tempestades da vida se abatem sobre nós. Um bom Ano para TODOS.

Informação sobre os monumentos da Wikipedia.

5 comentários:

  1. Precioso y lindo reportaje y en familia.
    Saludos y abrazos

    ResponderEliminar
  2. Momentos inesquecíveis! Lindos lugares e como são lindas viagens assim!! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. Um belíssimo passeio. Por muitos desses lugares andei há 5 anos atrás.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  4. Que passeio maravilhoso Maria!,adorei conhecer um pouco de Évora através de voce.
    Obrigada amiga!
    Um carinhoso abraço.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.