terça-feira, 23 de outubro de 2012

A voz do outono





Ouve tu, meu cansado coração,
O que te diz a voz da Natureza:
— «Mais te valera, nú e sem defesa,
Ter nascido em aspérrima solidão,

Ter gemido, ainda infante, sobre o chão
Frio e cruel da mais cruel
deveza, Do que embalar-te a Fada da Beleza,
Como embalou, no berço da Ilusão!

Mais valera à tua alma visionária
Silenciosa e triste ter passado
Por entre o mundo hostil e a turba vária,

(Sem ver uma só flor, das mil, que amaste)
Com ódio e raiva e dor... que ter sonhado
Os sonhos ideais que tu sonhaste!»

Antero de Quental





12 comentários:

  1. Lindíssimo querida Amiga, podemos sentir a brisa a passar nas palavras em tons vermelho, castanho, dourado... a imagem é muito bonita também.

    Boa semana
    beijinho
    cvb

    ResponderEliminar
  2. Lindo!!!
    Outono, cair da folha, esperança de uma nova vida... ou não...
    Linda homenagem ao poeta
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. A mais bela estação do ano....
    Belo soneto de A.Quental
    Boa semana
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. oi Maria,

    o outono é um período de recomeço que me encanta...
    lindo poema escolhido!!!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Poema forte e bonito, Maria!
    Gostaria que desse um pulinho no Vida & Plenitude (colhi Lírios por aqui e abençoei por lá...)!

    Beijos e UM Bom Dia, aliás, Boa Tarde aí!...

    ResponderEliminar
  6. Lindo! Antero um grande poeta, um grande homem.
    Que o terá levado a uma tão triste morte?
    Tenho tanto medo do desespero! E ando tão desesperada!
    Que Deus me dê força, para fugir ao desespero que me rói.
    Beijnho
    Maria

    ResponderEliminar
  7. Gostei dessa "voz de outono" está tão presente agora.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Não gosto do Outono. ´Na minha história de vida tem sido sempre época de mortes de familiares ou amigos bem como de várias doenças minhas. Percebo o desespero latente no poema.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Excelente escolha querida!
    Outono tem uma beleza muito própria, mas por vezes triste, o cair da folha não só é esperança de nova vida, como rouba muita vida.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  10. Que tão belo soneto!
    Grande poeta, dos melhores!

    Estive também a apreciar postagens anteriores
    Vir aqui, é como frequentar um centro cultural:
    galerias diversas, com diversas e belas artes...

    Obrigada, Maria,um abraço.
    Lúcia

    ResponderEliminar
  11. O Outono é um pouco triste,mas também tem a sua beleza e o poema é isso mesmo,lindo mas triste.
    Obrigada amiga.
    Um beijão.
    Miuíka

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.