quinta-feira, 10 de maio de 2012

Não Fora o Mar




Não fora o mar,
e eu seria feliz na minha rua,
neste primeiro andar da minha casa
a ver, de dia, o sol, de noite a lua,
calada, quieta, sem um golpe de asa.

Não fora o mar,
e seriam contados os meus passos,
tantos para viver, para morrer,
tantos os movimentos dos meus braços,
pequena angústia, pequeno prazer.

Não fora o mar,
e os seus sonhos seriam sem violência
como irisadas bolas de sabão,
efémero cristal, branca aparência,
e o resto — pingos de água em minha mão.

Não fora o mar,
e este cruel desejo de aventura
seria vaga música ao sol pôr
nem sequer brasa viva, queimadura,
pouco mais que o perfume duma flor.

Não fora o mar
e o longo apelo, o canto da sereia,
apenas ilusão, miragem,
breve canção, passo breve na areia,
desejo balbuciante de viagem.

Não fora o mar
e, resignada, em vez de olhar os astros
tudo o que é alto, inacessível, fundo,
cimos, castelos, torres, nuvens, mastros,
iria de olhos baixos pelo mundo.

Não fora o mar
e o meu canto seria flor e mel,
asa de borboleta, rouxinol,
e não rude halali, garra cruel,
Águia Real que desafia o sol.

Não fora o mar
e este potro selvagem, sem arção,
crinas ao vento, com arreio,
meu altivo, indomável coração,

Não fora o mar
e comeria à mão,
não fora o mar
e aceitaria o freio.


Maria Fernanda Teles de Castro e Quadros Ferro
Blog: Fernanda de Castro



11 comentários:

  1. Maravilha de poesia!!beijos,tudo de bom,chica e um lindo dia!

    ResponderEliminar
  2. Maria querida
    Lindo poema de reflexão de Maria Fernanda, adorei, a imagem é divinal.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  3. O mar e o seu feitiço, cativa e vive no coração indomável dos homens do mar.
    Nunca devemos voltar as costas ao mar, que o mar é traiçoeiro.
    bjis
    J

    ResponderEliminar
  4. postagem muito bonita, Maria. Bom dia, viu

    ResponderEliminar
  5. Gostei do poema. O mar é a minha paixão. Então como não gostar dum poema que o tem por musa?
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Belíssima e intensa poesia, minha querida.
    Sei que o dia das mães foi comemorado domingo passado aí, aqui no Brasil será domingo próximo e te desejo um feliz dia das mães para ti amiga,beijos,
    Valéria

    ResponderEliminar
  7. Amiga Maria.Como compreendo este poema ao mar,assim é o mar é libertador dos pensamentos,nos sentimos como gaivotas quando estamos junto dele,adorei o poema que muito diz.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Olá Maria.
    Sou uma mulher da serra mas sinto também uma enorme paixão e respeito pelo mar. Belo poema.
    Beijinhos
    Lourdes

    ResponderEliminar
  9. Maria boa noite!
    Este poema é simplesmente maravilhoso e o mar é e será sempre uma fonte de inspiração.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  10. Querida amiga,
    Mãe,
    Teus braços sempre se abrem quando teu filho precisa de um abraço.
    Teu coração sabe compreender quando teu filho precisa uma amiga.
    Teus olhos sensíveis se endurecem quando eles precisam uma lição.
    Tua força e teu amor os guiaram pela vida e lhe deram as asas para
    que eles pudessem voar.
    Feliz Dias das Mães. Beijocas

    ResponderEliminar
  11. Que poema lindo amiga!
    Um carinhoso abraço e um final de semana de muita paz.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.