sexta-feira, 30 de março de 2012

O Que Tu És... - Poema de Florbela Espanca




O Que Tu És...

És Aquela que tudo te entristece
Irrita e amargura, tudo humilha;
Aquela a quem a Mágoa chamou filha;
A que aos homens e a Deus nada merece.

Aquela que o sol claro entenebrece
A que nem sabe a estrada que ora trilha,
Que nem um lindo amor de maravilha
Sequer deslumbra, e ilumina e aquece!

Mar-Morto sem marés nem ondas largas,
A rastejar no chão como as mendigas,
Todo feito de lágrimas amargas!

És ano que não teve Primavera...
Ah! Não seres como as outras raparigas
Ó Princesa Encantada da Quimera!...

Florbela Espanca



15 comentários:

  1. Bonito poema.
    Gosto da suavidade da foto.

    ResponderEliminar
  2. Florbela Espanca sempre atual! É maravilhoso este poema, como todos dela.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Olá, Maria.Belo poema de Florbela! È admirável a grande sensibilidade de cada versos. Obrigada amiga pelo belo post! Bjos.

    ResponderEliminar
  4. Olá Maria! Passando para agradecer a tua visita e o teu amável comentário, bem como apreciar este belo soneto da Florbela Espanca, fruto das tuas acertadas escolhas.

    Beijos e um ótimo final de semana pra ti e para os teus.

    Rosemildo Furtado.

    ResponderEliminar
  5. Querida Maria!

    O desastre que a mágoa causa, uma cegueira interna.
    Linda essa poesia de Florbela!


    Minha mãe está se preparando para uma grande cirurgia de prótese no quadril, dentro do quadro merece cuidados... mas temos muita fé.
    Grata pela sua atenção.

    Mil beijos

    ResponderEliminar
  6. Florbela poetizou a triste vida que levou, muito triste. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  7. Maria querida

    Mais uma excelente escolha esta de Florbela que nos dá a cohecer a tristeza com que viveu. A tristeza devora-nos.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. oi Maria,

    parece que aqueles que mais sofrem,
    exprimem melhor os sentimentos,
    poetizando sobre a vida...
    linda Florbela,adoro!!!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Maria,
    Após uma ausência...estou passando para agradecer sua amável visita e comentário, no meu cantinho. Adoro, Florbela Espanca! Belissíma poesia! Uma boa escolha, amiga! Parabéns e obrigada pela partilha.
    É sempre um prazer ler seu blog... lindo!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Sou suspeita. Florbela é a 'minha' Poetisa.

    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Tão bela escolha, tão lindo poema. Que delícia de meditar sobre um poema desses. Boa noite querida beijinhos carinhosos para ti e tenha um lindo final de semana.

    ResponderEliminar
  12. querida amiga, obrigada pela linda visita, você sempre com cometários carinhosos, sua vinda aqui muito me honra, bjus terê

    ResponderEliminar
  13. Boa noite minha linda.
    Obrigada pelo carinho de tuas visitas.
    Quanto ao poema...poetisa de alma branda
    porem sofrida...Sempre bela...Florbela Espanca.
    Bjinhos em teu coração!
    Fique com DEUS!

    ResponderEliminar
  14. Um belo presente!
    Obrigada.
    Gde abraço, em divina amizade.
    Sonia Guzzi

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.