sábado, 30 de julho de 2011

A Pintura de Alfredo Rodriguez


Hoje vamos Divagar pela arte do Pintor mexicano ALFREDO RODRIGUEZ, um pintor que retrata de forma brilhante o quotidiano das montanhas, dos colonos, dos Índios e da grande paisagem americana.

Rodriguez nasceu em Tepic, uma pequena cidade do México, em 1954. Quando tinha seis anos, a sua mãe ofereceu-lhe um conjunto de aguarelas, esse presente marcaria para sempre a sua vida.





É pintor profissional desde 1968, quando tinha apenas 14 anos de idade.




Nascido numa família de nove irmãos, ele ajudava financeiramente através da sua arte.




Um artista em constante evolução, e cada nova pintura supera as anteriores.




Ele consegue eternizar toda a beleza nativa americana.




As suas telas capturam a beleza do espírito humano elevado à magnitude do lugar.




Reconhecido internacionalmente é considerado um dos pintores mais completos neste tipo de pintura.




É membro da "American Indian and Cowboy Artists Association".




Algumas das suas pinturas estão incluídos nas coleções permanentes de vários museus, como o Favell Museum em Oregon, no Leanin' Tree Museum em Colorado, no Booth Museum na Georgia e no Pearce Western Art Collection no Texas.




Têm participado em várias exposições e têm ganho prémios das mais prestigiadas organizações.



Desde 1979 que reside em Corona (Califórnia).




A obra de Alfredo Rodriguez está cheia de realismo, os desenhos estão numa perfeição fora de série, a sua obra está cheia de vida e cor.

Visite o seu site oficial: http:/www.alfredoartist.com/




"O aumento do conhecimento é como uma esfera dilatando-se no espaço: quanto maior a nossa compreensão, maior o nosso contacto com o desconhecido." (Blaise Pascal)

Dia dos Avós - Poema da amiga Lili Laranjo





Hoje é dias dos avós.
Mas... amanhã...
Depois de amanhã...
E sempre...
É dia dos avós...
... Do mimo...
... Da ternura...
... Do carinho...
... Do estar...
... E de poder transmitir...
... A força...
... E a confiança...

Eu sou avó...
Todos os dias...
E é tão bom...
Poder sentir...
Essa confiança!...

LILI LARANJO

Poema oferecido pelo Amiga Lili Laranjo Do Blog “África em Poesia”, um cantinho maravilhoso em que a poesia encanta a alma de quem lá chega. Merece sem sombra de dúvidas uma visita.

Obrigado Amiga



"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais." (Voltaire)

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Maria Rodrigues - Poema do amigo poeta Daniel Costa



“Esta Lisboa bendita
Feita cristã para viver
Ela é a menina bonita
De que tem olhos para ver”

A quadra tem razão de ser
Da letra da marcha dos anos cinquenta
Tudo tem para a engrandecer
Viver em Lisboa é como viver num paraíso
O poeta pode isolar-se mais para escrever
Pode estar-se no meio de uma multidão
Como um homem só
Se reflecte e toma atenção
De repente observa a mulher bonita
Exteriormente, pensar no seu íntimo o coração
Deuses… É como se visse uma flor
A desabrochar em calor humano, então!...
Foi assim que vi e observei
A mulher com grande poder de investigação
Maria Rodrigues uma mulher de intenso pudor
Metódica no seu labor de humana rectidão
Temos pois Maria Rodrigues um amor
Sobretudo para os seus
Que pensa no semelhante, com o seu labor
Oferecendo-lhes, como que em bandeja
Fotos e pensamentos de belo sabor
Denota um viver de harmonia
É como um diamante lapidado de valor
Por Lisboa vagueia Maria Rodrigues
Como mais uma flor
Do jardim que é a capital de Portugal
Maria Rodrigues empresta perfume e olor
Em fragrância muito real

Daniel Costa

Poema oferecido pelo Amigo poeta Daniel Costa do Blog “Daniel Milagre”, um cantinho maravilhoso em que a poesia escrita com todo o seu carinho e maestria, encanta a alma de quem lê. Merece sem sombra de dúvidas uma visita.

Muito Obrigado Amigo


"A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais." (Voltaire)

Se você é... Madre Teresa de Calcutá


Imagem: Kagaya

Se você é um vencedor,
terá alguns falsos amigos
e alguns amigos verdadeiros.
Vença assim mesmo.

Se você é honesto e franco,
as pessoas podem enganá-lo
Seja honesto e franco assim mesmo.

O que você levou anos para construir
Alguém pode destruir de uma hora para outra.
Construa assim mesmo.

Se você tem paz e é feliz,
As pessoas podem sentir inveja.
Seja feliz assim mesmo.

Dê ao mundo o melhor de você,
mas isso pode nunca ser o bastante.
Dê o melhor de você assim mesmo.

Veja você que, no final de tudo
Será você ... e Deus.

E não você ... e as pessoas!

Madre Teresa de Calcutá

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Na rota de Templos Budistas


Hoje vamos viajar até ao oriente, na rota de Templos e mosteiros budistas, de paisagens deslumbrantes do místico e diferente país - Myanmar.


Myanmar ou Birmânia, oficialmente República da União de Myanmar, é um país do sul da Ásia continental limitado ao norte e nordeste pela China, a leste pelo Laos, a sudeste pela Tailândia, ao sul pelo Mar de Andamão e pelo Canal do Coco, a oeste pelo Golfo de Bengala e a noroeste por Bangladesh e pela Índia.



Tem uma vasta costa que rodeia uma grande parte do país com uma extensão de 3.000 km. O interior do país está marcado por grandes rios e extensas planícies. As montanhas levantam-se ao leste, ao longo da fronteira com Tailândia e também em direcção ao norte, onde se pode alcançar o extremo leste dos Himalaias. Localiza-se na região asiática das monções, o que faz com que suas regiões recebam mais de 5 000 mm anuais de chuva. Mais de 49% do território do país são cobertos por florestas. Myanmar apresenta grande diversidade étnica. A cultura dominante é principalmente budista e birmane. Numa vila birmanesa tradicional, o mosteiro é o centro da vida cultural e os monges são venerados e apoiados pelos leigos. Todos os meninos de famílias budistas devem tornar-se noviços e monges, mesmo que por pouco tempo.



A sua capital é NayPyiTaw e está situada nas margens do rio Hlaing a 30 quilómetros da costa. As suas ruas largas ainda conservam a arquitectura das suas edificações características da colonização britânica.

Uppatasanti Pagoda



Divagando por Templos e Mosteiros

■ YANGON
Yangon é uma amálgama de influências birmanesas, chinesas e britânicas. É banhada pelos Rios Yagon e Bago, uma cidade com muitos jardins, onde sobressai o dourado dos mais belos templos e pagodes.

- Pagode Shwedagon, um dos mais belos e sagrados monumentos de Yangon. Reza a lenda que foi edificado de há mais de 2500 anos, no tempo de Siddharta Gautama, guardando 6 dos seus cabelos como relíquias. É impressionante a recoberta de lâminas de ouro com que se decorou a construção, Shwe significa dourado, tem uma valiosa colecção de jóias e pedras preciosas que pertenceram a reis e nobres do país. É revestido por 60 toneladas de ouro, 5500 diamantes, 2000 pedras preciosas. A beleza, localização e requinte dos seus dourados e pedras preciosas fazem do Pagode de Shwedagon um dos mais belos monumentos da Birmânia e do Mundo Budista.



- Pagode de Sule , em forma octogonal e localizado em pleno centro da cidade. Segundo a lenda, a primeira construção data de há mais de dois mil anos, tendo sido construída para guardar como relíquia, um cabelo de Buda, que este ofereceu a dois mercadores birmaneses.

- Pagode de Chaukhtatgyi – uma construção de seis andares que aloja um enorme Buda reclinado, mandado erigir nos finais do século XIX por U Hpo That, um birmanês movido pelo desejo de dotar o seu país com um dos maiores e mais belos edifícios de devoção budista.

■ LAGO INLE
O Lago Inle situa-se a nordeste de Myanmar , rodeado de colinas e onde florescem as orquídeas. É admirável a beleza com que se deixa flutuar em suas águas nenúfares e jacintos flutuantes. Nas suas margens vivem os Intha, "Homens do Lago", que cultivam vegetais sobre ilhas flutuantes e remam com as pernas. Um espetáculo impressionante e cheio de misticismo.



A população Intha tem idealizado uma forma original de cultivo, que aproveita a vegetação lacustre para criar verdadeiros hortos flutuantes sobre a água.


Na aldeia de Nyaung Shwe pode-se admirar o Pagode de Phaungdaw Oo, o pagode mais venerado no lago.




■ MANDALAY
A cidade foi fundada em 1827 pelo Rei Mindon como capital do que viria a ser o último Reino Birmanês até à sua conquista pelo Império Britânico em 1886.

De salientar:
- Pagodes de Mahamuni



- Kuthodaw – Pagode onde se encontra o maior livro do mundo.

- Mosteiro de Shwenandaw (Golden Palace) - o melhor da escultura em madeira.

- Pagode Kuthodaw , mandado construir pelo Rei Mindon em 1860, nas encostas do Monte Mandalay rodeado por 729 pequenos templos com inscrições das escrituras budistas em pedras de mármore.



Imperdível uma subida à colina de Mandalay para assistir ao pôr-do-sol sobre a cidade.

■ AMAPURA
Em Amapura, antiga capital, destaque para o maior mosteiro budista birmanês – Mahargandaryone, – uma típica escola monástica com os seus milhares de jovens monges, situado nas margens do Lago Taunghaman.
De salientar também a ponte U Bein sob o lago Thaugthaman, designada como a mais longa ponte de madeira do mundo.



■ SAGAING e MONIWA
Sagaing é o Centro espiritual do país, um lugar calmo, sereno e de meditação que, com as suas mais de 500 stupas, templos e mosteiros atrai milhares de monges budistas de todos os cantos do país.



Entre os locais de maior interesse a visitar destacam-se:

- U Min Thonze Pagoda



- Pagodes de Soonooponyashin, Uminthonese

- Kaunghmundaw

- Pagodes de Thanbodday em Monywa



- grutas de Po Win Daung



■ BAGAN
Fundada no século II, foi a capital do primeiro império birmanês, é hoje uma das mais importantes e sagradas cidades do Sudeste Asiático. Conheceu o seu período mais florescente dos séc. XI ao XIII, altura em que foram construídos milhares de templos budistas, vindo a conhecer o seu declínio com a destruição e saque das invasões mongóis em 1287. É hoje um dos mais importantes centros arqueológicos da Ásia.



A visitar entre muitos:
- Templo de Schwezigon, um dos mais venerados pelas relíquias de Buda que aqui se encontram.



- Templo Htilominlo - contém as melhores esculturas de “ Pilastra”

- Templo Gubyaukgyi – Onde se encontram as melhores pinturas de murais do século XI.

- Templo de Ananda - Obra prima da arquitetura Mon.



- Templo-Caverna Kyanzittha Umin

■ MONTE POPA
O Mount Popa é um vulcão extinto que é conhecido como "Casa dos Espíritos", sendo um destino de peregrinação por albergar as estátuas dos 37 Nats (espíritos). Ao longo da enorme escadaria que leva ao cume, encontram-se altares e estátuas que são alvo da fé dos inúmeros peregrinos que sobem até ao topo onde se encontra um complexo de mosteiros, stupas e templos.
No alto da falésia do Templo de Mt.Popa encontra-se o Mosteiro de Taung Kalat e desfruta-se de uma paisagem maravilhosa.

- Mosteiro de Taung Kalat



Um país com paisagens deslumbrantes, vegetação luxuriante, templos, pagodes e mosteiros únicos, um país exotico.

Fontes: Wikipedia; http://www.portalsaofrancisco.com; http://www.vaviagens.com/; http://www.almadeviajante.com/; Myanmar Travel Net; Trekearth; outros

* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.



Viajar é alargar os nossos horizontes, é conhecer novas culturas, novos locais, paraísos perdidos que nos fascinam e encantam e se não o podemos fazer fisicamente, podemos sempre fazê-lo através da fotografia e da leitura, essa será a nossa viajem virtual!

terça-feira, 26 de julho de 2011

Urgentemente - Poema de Eugénio de Andrade




É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.
é urgente destruir certas palavras.
odio, solidão e crueldade,
alguns lamentos
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Eugénio de Andrade


Selinho Amigos presente da Amiga Sandra


Este Selinho lindo é um presente da amiga Sandra do blog "Interação de Amigos  - Blog da Sandra"


Minha querida amiga, muito obrigado por este miminho maravilhoso.



"A amizade duplica as alegrias e divide as tristezas." (Francis Bacon)

segunda-feira, 25 de julho de 2011

NÃO PERCA - Paulo Roberto Gaefke





Perca a batalha, mas não desistas da guerra.
Perca a coragem, mas não perca a vontade de lutar.
Perca a paciência, mas não perca a sua dignidade e segure-se.
Perca o amigo, mas nunca a amizade.
Perca o medo, mas não a prevenção diante dos perigos.
Perca o sono, mas não a vontade de repousar.
Perca as esperanças, mas não a confiança em Deus.
Perca o bom senso, mas não fique ridículo.
Perca o humor, mas não a vontade de sorrir.
Perca o caminho, mas não a direção da sua vida.
Perca o emprego, mas não a vontade de trabalhar.
Perca o medo de amar, errar é aprender.
Perca o medo de falar, alguém vai te ouvir.
Perca o medo de ser feliz, arrisque-se.
Perca o medo de dizer o que sente, ninguém vai descobrir se você não falar.
Perca a fé, mas nunca a certeza de que Deus existe e é seu amigo sempre.
Perca o rumo de sua vida, mas encontre-se.
Perca um dia de sua vida, mas nunca a sua vida inteira.

Paulo Roberto Gaefke

Curiosidades - "Elysia chlorotica" - Lesma marinha que faz fotossíntese


Estamos sempre a aprender e os filhos são uma grande fonte de informações. Hoje deixo aqui uma CURIOSIDADE que se encontrava no livro de ciências do meu filho Pedro e que o deixou bem admirado, vindo partilhar comigo e pedindo para eu falar aqui no meu cantinho.

A Lesma marinha que faz fotossíntese - "Elysia chlorotica"


A Elysia chlorotica "Green Animal", é uma pequena lesma marinha hermafrodita verde escura, com 3 cm de comprimento que parece uma folha de árvore e consegue uma proeza até hoje desconhecida na Natureza entre os seres do reino Animal que é fazer fotossíntese.

Distribuição
A Elysia chlorotica pode ser encontrada ao longo da costa leste dos Estados Unidos e em algumas partes da Nova Escócia e do Canadá, em regiões de pântano.

Alimentação
Elysia chlorotica alimenta-se de algas Vaucheria litorea. A lesma, mantém a alga firme na sua boca e suga o conteúdo das células da alga. Ela armazena os cloroplastos - organitos celulares de cor verde ricos em clorofila que permitem às células das plantas converter a luz solar em energia - nas células do seu ramificado intestino, que se prolonga por todo o corpo, onde permanecem funcionais.

A incorporação dos cloroplastos dentro das células de chlorotica Elysia permite a lesma realizar a fotossíntese.


A Elysia chlorotica pode sobreviver aproximadamente nove meses com os açúcares produzidos através da fotossíntese realizada pelos seus próprios cloroplastos, o que é altamente benéfico durante os períodos de tempo em que as algas não estão disponíveis em quantidade suficiente.

A aquisição dos cloroplastos por meio da alimentação é logo após a metamorfose.

Lesmas juvenis apresentam coloração marrom com manchas vermelhas até que alimentam de algas, altura em que eles ficam verdes.


Este ser fantástico foi descoberto por uma equipa de investigadores de Universidades Norte-Americanas e da Coreia do Sul. A equipa é liderada por Mary Rumpho-Kennedy, professora de bioquímica e investigadora na Universidade de Maine.

O artigo sobre esta extraordinária descoberta foi publicado na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences".

Fonte: wikipedia; http://divulgarciencia.com/categoria/elysia-chlorotica/; outros
Poderá ler o artigo no site original da notícia em: PNAS (Proceedings of the National Academy Sciences)