terça-feira, 29 de novembro de 2011

Lembrança - Poema de Florbela Espanca




Fui Essa que nas ruas esmolou
E fui a que habitou Paços Reais;
No mármore de curvas ogivais
Fui Essa que as mãos pálidas poisou...

Tanto poeta em versos me cantou!
Fiei o linho à porta dos casais...
Fui descobrir a Índia e nunca mais
Voltei! Fui essa nau que não voltou...

Tenho o perfil moreno, lusitano,
E os olhos verdes, cor do verde Oceano,
Sereia que nasceu de navegantes...

Tudo em cinzentas brumas se dilui...
Ah, quem me dera ser Essas que eu fui,
As que me lembro de ter sido... dantes!...


Florbela Espanca


19 comentários:

  1. Olá minha amiga, preciosa entrada de blog e lindo poema.
    Um grande beijo no coração e uma linda semana XD

    ResponderEliminar
  2. passo para te dizer, boa noite, Maria.
    um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Maria, querida, sempre que venho até aqui, preparo-me para sentir emoção...E hoje não foi diferente com esse lindo poema de Florbela Espanca. A postagem anterior, também, impecável! Bom de vir...difícil de sair... Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Bom dia minha amiga. Belo poema e imagem....perfeito! Maravilhoso! Adorei. Tenha um exelente dia e todo carinho pra vc! Bjos.

    ResponderEliminar
  5. Sonetos simplesmente maravilhosos.
    Com eles navegamos numa busca indefinida.

    ResponderEliminar
  6. Lindíssimo poema!Ótimo dia!beijos,chica

    ResponderEliminar
  7. Olá, Maria, que belo soneto. Tenha um dia lindo, pleno de paz!

    ResponderEliminar
  8. oi Maria,

    linda escolha minha amiga,
    Florbela é um poço de
    sensibilidade,
    adoro...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  9. MARIA MINHA DOCE AMIGA QUE POEMA LINDO APRENDI A CONHECER E A GOSTAR DESTA POETIZA AQUI EM SEU BLOG
    HOJE LEIO TUDO QUE DECUBRO NA INTERNET SOBRE ELA QUE É DIVINA E LINDA POETIZA GRATA EU POR VOCE PARTILHAR SEMPRE POEMAS TÃO BELOS E IMAGENS QUE NOS ENCANTAM,COM CARINHO MARLENE

    ResponderEliminar
  10. Todas as vezes que leio algo de Espanca é sempre uma surpresa, ela como ninguém soube escrever realmente o que sentia, pois transmitia isso em palavras tão simples e singelas.
    Abraços
    Lhú Weiss

    ResponderEliminar
  11. Florbela Espanca surpreende-nos sempre, com os seus poemas carregados de paixão. Sou essa nau, que foi e não voltou e que tantos poetas cantou...que histórias estarão por detrás destas palavras!

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  12. Poema maravilhoso de Florbela Espanca, parabéns pela escolha, querida Maria.
    Um grande abraço e muita paz!

    ResponderEliminar
  13. Boa noite Maria!
    Um belíssimo soneto da minha poetisa portuguesa preferida.
    Parabéns pela excelente escolha.
    Beijo,
    Mara

    ResponderEliminar
  14. Este poema é divino, belíssimo, mais um presente levo em meu coração deste espaço, por isso deixo aqui minha gratidão por momentos lindos que passo aqui.
    Com carinho
    Hana

    ResponderEliminar
  15. Maria
    As palavras de Florbela são como uma benção.
    Obrigada po mais uma belissima partilha.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  16. Uma belíssima escolha minha querida...
    Tenha um boa noite amiga, fique na alegria...beijos
    Valéria

    ResponderEliminar
  17. Maria obrigada pelo presente que destes aos teus leitores... A Espanca falava com palavras que quem dera eu, tivessem saído de minha boca...rs

    ResponderEliminar
  18. Olá Maria querida.
    Adoro Florbela, achei lindo o poema.

    Beijinho.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.