segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Ao Vento - Florbela Espanca





O vento passa a rir, torna a passar,
Em gargalhadas ásperas de demente;
E esta minh’alma trágica e doente
Não sabe se há-de rir, se há-de chorar!

Vento de voz tristonha, voz plangente,
Vento que ris de mim sempre a troçar,
Vento que ris do mundo e do amor,
A tua voz tortura toda a gente! ...

Vale-te mais chorar, meu pobre amigo!
Desabafa essa dor a sós comigo,
E não rias assim ! ... Ó vento, chora!

Que eu bem conheço, amigo, esse fadário
Do nosso peito ser como um Calvário,
e a gente andar a rir pla vida fora!! ...

Florbela Espanca


24 comentários:

  1. As poesias de Florbela Espanca são maravilhosas.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Olá Maria:

    Pode parecer incrível mas ainda estou resolvendo problemas causados pelo acidente com meus dentes, mas minha ausência de agora foi pelo falecimento de minha irmâ mais velha e uma pequena viagem que tive de fazer. Ano complicado esse meu, tomara que o próximo se apresente mais ameno. Quando fico muito atormentada e não consigo dormir, como hoje,apesar do relógio estar marcando 01:27h da manhã,subo para meu atelier pinto alguma tela ou venho para o computador.
    Acho que ultimamente estou rindo e chorando como o vento deste lindo poema da Florbela.
    Uma boa semana para voce, e grata pelo carinho da amiga.
    beijos,
    Léah

    ResponderEliminar
  3. Ler esta poesia deixa-nos sem palavras.
    A beleza e o encanto são leves mas muito suavemente trabalhados.
    Paramos e recomeçamos como se fossemos o próprio vento que leva ou nos trás os pensamentos.

    ResponderEliminar
  4. O vento para mim é o sorriso da natureza. Os poemas de Florbela são lindos. Abraços, Maria e ótima semana.

    ResponderEliminar
  5. Maria, muito bom ler Florbela Espanca, uma das minha eleitas, fascinam-me as suas palavras.

    boa semana
    abraço
    oa.s

    ResponderEliminar
  6. Maria, obrigada por compartilhar conosco esta linda poesia. Peço desculpas pela minha ausência, mas aos poucos voltarei ao normal, estou sem tempo, alguns compromissos estão me deixando sem eles.
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  7. Minha doce e linda Maria, mais uma vez perdida neste labirinto de coisas lindas e maravilhosas, sabe meu bem eu já tenho pouca pedalada e quero fazer tanta coisa que já não consigo,pois o dia tinha de ter 48 horas e ainda era pouco. Sou uma pessoa que muita gente me procura para desabafar e, eu como sou toda ouvidos nunca viro as costas a ninguém, vai dai que quando quero vir cumprir minha obrigações já são horas de dormir.
    Eis esta uma das minha perdas para com os meus amigos, mas contudo nunca me esqueço deles.
    Aqui ficam as minhas desculpas e deixo sempre em seu coração os meus beijinhos de luz e muita paz...
    PS: os meus beijinhos especiais que nunca esqueço...

    ResponderEliminar
  8. como dizem por aí, para alguns o vento geme, para outros tocam (e ainda é colorido) rs...

    bjs

    ResponderEliminar
  9. Lindo demais...bons ventos de amor...beijos de boa semana pra ti amiga....

    ResponderEliminar
  10. Querida Maria

    Ler Florbela Espanca é sempre um bálsamo para o coração.Mulher talentosa que nos deixou tantos e tão lindos poemas!

    Boa semana.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  11. Que lindissimo querida Maria!!!!Fico encantada com tantas paisagens e poemas belissimos!!!Tenha uma ótima semana,abraçossss.

    ResponderEliminar
  12. Olá,Maria!!

    Que bela esta poesia!!!De uma beleza que comove o coração!(a imagem que escolheste...é MARAVILHOSA!)
    Esta poetisa incrível que a dois anos atrás eu nem conhecia!Agradeço aos blogs, pois foi no da Helô que li Florbela pela primeira vez!E comprei pra mim um livro de sonetos dela!
    Beijos querida!Tudo de bom!

    ResponderEliminar
  13. Amigo Peço as minhas desculpas, por ter andado fugido, mas fiquei sem os meus blogues e só agora a que criei outros, lindo o poema de Florbela Espanca adorei.
    O meus blogues são: Silenciodeumser.blogspot.com
    Nossasenhoradomartírio.blogspot.com
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderEliminar
  14. Linda e maravilhosa a poesia de Florbela, e emoldurada por uma também linda imagem...
    Beijo

    ResponderEliminar
  15. Oi Maria, ultimamente ando parecida com este vento que ri e chora vida afora.Quem sabe ele vem mais ameno e com suavidade vai amainando o coração. Bela poesia!
    Uma linda e feliz semana.Bjs Eloah

    ResponderEliminar
  16. FRATERNÍSSIMA AMADA AMIGA MARIA NOSSA:

    APORTANDO EM CSA NOSSA,TE ABRAÇAMOS E AGRADECENOS AS TERNAS E DOCES SEMPRE ,PALAVRAS

    VIVA LA VIDA

    ResponderEliminar
  17. Maria, boa tarde,
    Os poemas de Florbela Espanca são muito belos e este que não conhecia transporta-nos a suave diálogo com o vento, que por vezes também fala connosco.
    Um beijinho e boa semana.
    Com o meu carinho.
    Ailime

    ResponderEliminar
  18. Oi Maria, Florbela Espanca sempre me encanta com seus poemas lindíssimo. Esse poema tem a leveza dos ventos. Lindo demais.
    Beijos e ótima semana!

    ResponderEliminar
  19. A Maior na nossa poesia: Florbela!
    A que sofreu por amor, nunca foi entendida e deixou a sua marca nas palavras entrelaçadas dos sonetos!
    Maravilhosa escolha!
    Beijos.

    Graça

    ResponderEliminar
  20. Maria minha querida
    Obrigada por este momento, fez-me muito bem ler este belissimo poema de Florbela.
    Beijjinho

    ResponderEliminar
  21. Florbela e tons lilás, tudo bem a meu gosto!...
    Bjs

    ResponderEliminar
  22. Oi doce Maria, amei a imagem :) muito linda!!

    Gosto muito de Florbela Espanca,
    beijokitas pra ti com master carinho.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.