quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Profissões do antigamente


Antigas profissões numa Lisboa de outras eras ....

Martim Moniz 1946

O AGUADEIRO
Carregavam barris de água que vendiam a quem passava. Abasteciam-se nos vários chafarizes de Lisboa, esperando a sua vez nas longas filas de espera e percorriam depois as ruas da cidade com os seus pregões.


"Há água fresquinha! Quem quer quem quer?"

O FOTÓGRAFO À-LÁ-MINUTE

Com a sua tipica máquina paravam em jardins e locais públicos na esperança de alguém querer uma fotografia para mais tarde recordar.


“Olhó passarinho!”

A LAVADEIRA
As lavadeiras lavavam as roupas nos rios, nas ribeiras, nos tanques ou nos lavadouros. As roupas eram transportadas em trouxas de serapilheira (feitas de quatro sacas de açúcar cosidas umas às outras, formando um único pano). Utilizavam como transporte burros, mulas ou carroças. Por vezes, percorriam as ruas a pé com a trouxa à cabeça.


“...três corpetes, um avental, sete fronhas e um lençol...que a freguesa deu ao rol.”

O LIMPA-CHAMINÉS
Homens com cordas às costas, carregando vassouras e uma escada, sempre todos sujos de fuligem, uma das mais antigas profissões do mundo.


"Muitas vezes parece que o diabo bate à nossa porta mas é simplesmente o limpa-chaminés”

A VENDEDORA DE FIGOS
Vendedora de figos no Cais do Sodré em 1912

"Quem quer figos quem quer almoçar...”

O TRAPEIRO
Compradores ambulante de trapos, vendiam e compravam trapos e roupas velhas porta-a-porta.


“Quem tem trapos ou farrapos que queira vender”

A VARINA
Chinelas nos pés, movimentos ligeiros, transportando a sua canasta à cabeça, percorriam as ruas de Lisboa com os seus pregões matinais.


"Olha a sardinha, é vivinha da costa!”

Fonte: email recebido e pesquisa net

Outros tempos!

14 comentários:

  1. Amiga
    Obrigada pelo carinho deixado pelo aniversário de 1 ano dos meus blogs...
    Que vc seja abençoada e feliz hoje mais do que nunca!!!
    Um milhão de beijos fraternos e de paz

    ResponderEliminar
  2. Amiga
    Obrigada pelo carinho deixado pelo aniversário de 1 ano dos meus blogs...
    Que vc seja abençoada e feliz hoje mais do que nunca!!!
    Um milhão de beijos fraternos e de paz

    ResponderEliminar
  3. Preciosas y lindas fotos antiguas, muy bonitas me encanta como se trabajava antes no ahora todo tecnologia.
    Saludos y abrazos.

    ResponderEliminar
  4. Bom dia, Maria

    Excelente ideia a de nos recordar um dos espaços mais carismáticos de Lisboa,o Largo Martim Moniz que, presentemente, se encontra descaracterizada em relação ao passado.

    Talvez daqui a uns anos se faça História do Martim Moniz de agora, um cadinho de culturas, embora as construções que tenham feito por lá lhe tire algum do seu encanto.

    Beijos

    Olinda

    ResponderEliminar
  5. Que maravilha partilhar conosco a história cultural do teu país revivendo as antigas profissões!Até na labuta diária extraímos encanto.Amei acompanhar! Tenha um dia produtivo e feliz, amiga.Bjs no coração Eloah

    ResponderEliminar
  6. Bom alvorecer !
    Depois que o bicho(vírus) se instalou no meu blog,me fechei e só hj que estou abrindo com uma postagem linda e emocionante.
    Te convido a ir lá,depois passarei por aqui para fazer meu comentário...Tenha um dia fenomenal e de muita luz...
    Grata pela amizade...Particularmente estava com saudades de viajar nesse universo,junto com vcs...por amar demais(sonhadora)todos.
    Bjs para aquecer teu dia!

    ResponderEliminar
  7. Bom dia!

    Que seu dia seja de paz, de sorrisos e de muitas bênçãos, e que você possa sentir a presença de Deus aonde quer que vá.

    “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós”. (I Pedro 5:7)

    Deus seja contigo!

    Blog Yehi Or!
    http://hajalluz.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Maria querida
    Só tu mesma para teres uma excelente ideia de nos ofereceres fotos preciosas como estas.
    Lembro-me da águadeira andar de burro com os canecos, mas não na minha Aldeia, lá toda gente tinha poços com água que servia para tudo. As varinas sim andavam na minha Aldeia, os amuladores de facas e consertavam pratos com agrafos, os ourives, os alfaiates, os trapos eram aproveitados faziamos tiras deles para fazer mantas de retalhos que ainda sei fazer.
    Adorei amiga estas recordações.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. que gostoso ver assim o passado..
    tudo era mais sentido e próximo..
    pena!
    beijos linda!

    ResponderEliminar
  10. Ainda hoje passei aos meus alunos do 12º ano, e a propósito de Cesário Verde, uma visualização de antigas profissões, falando-lhes destas e de outras. Agora veio-me à memória (e não lhes falei) da do leiteiro...

    Parabéns, atrasados, para o Filho.

    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Postagem interessante... a gente se apercebe de como os tempos mudaram!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  12. Um passado distante, muitas coisas mudam na vida, que bom...beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  13. Oi, Maria! Que legal! Aqui em Belo horizonte (BH) ainda temos o fotógrafo mostrado, só que o chamamos de lambe-lambe. Fica nos pontos de visitação turística e suas máquininhas ainda funcionam. E as lavadeira que lavam nas beiras de rios, essas sim, ainda são muito comuns no interior do Brasil. Há uns dois anos fui em uma longa viagem pelo sertão e pude vê-las numa cantoria (parecendo coreografada) belíssima. Abraços e obrigado por partilhar estas preciosidades. Paz e bem.

    ResponderEliminar
  14. Muito bom!! Um post delicioso e nostálgico... Beijos.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.