quarta-feira, 29 de junho de 2011

Pudesse Eu - Poema de Sophia de Mello Breyner Andreson




Pudesse eu não ter laços nem limites
Ó vida de mil faces transbordantes
Para poder responder aos teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes!

Sophia de Mello Breyner Andreson


20 comentários:

  1. Bom dia, Maria
    Pudesse eu...ter só um pouquinho da veia poética de Sophia e já me sentiria feliz.
    Tão lindos, estes versos!
    A imagem também é muito linda.

    Uma semana luminosa. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. pudesse eu...
    linda escolha!
    beijos querida...um lindo dia..

    ResponderEliminar
  3. A poesia de Sophia é raiada de luz e beleza.
    Este é uma brisa transparente que atravessa a alma.

    Um beijo

    Lídia Borges
    (Não consigo comentar sem ser como anónimo)

    ResponderEliminar
  4. Maria, Sublime Amiga,
    A vida e as incessantes surpresas da vida... Tudo pode mudar num piscar de olhos...
    Bjis
    Jorge
    Nota: Não sei porquê, só consigo comentar como anónimo. [Blog Scorpion]

    ResponderEliminar
  5. Olá Maria

    Neste curto poema, Sophia traduz a insatisfação, a inquietude que, de quando em vez, assalta o nosso espírito.Nós somos mesmo assim, sempre aspirando a mundos desconhecidos e nas asas do sonho experimentar novos horizontes.

    Beijo

    Olinda

    P.S. Vou levá-lo comigo, para minha listinha de poemas preferidos, com a devida vénia.:)

    ResponderEliminar
  6. QUERIDA MARIA QUE LINDO POEMA ,DE TÃO POUCAS LINHA E TÃO PROFUNDO,DIZ TUDO QUE MUITA VEZES PRECIZAMOS DE UM VASTO TEXTO PARA EXPLICAR,,AMEI
    PARABENS POR ESTA POST TÃO LINDA UM ABRAÇO MARLENE

    ResponderEliminar
  7. Lindo! Mas a vida é um conjunto de nós. Laços há poucos.

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Olá Maria, lindo querida amiga como tudo o que por ela foi escrito. Adorei. Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  9. Maria querida
    "Podesse eu não ter laços nem limites"
    Verdade o que Sophia de Melo diz. Obrigado amiga por esta partilha maravilhosa.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Boa noite, Maria venho só agradecer a "dica" sobre a forma de comentar.

    Obrigada!:)

    Beijo meu

    ResponderEliminar
  11. A vida nos oferece muitas oportunidades mas devido as nossas limitações deixamos de viver talves um gde momento...
    lindo texto poucas palavras que dizem tudo mas profundo...beijo amiga...

    ResponderEliminar
  12. Oi Maria.
    A poesia é linda, mas você arrasou com esta imagem! Bjs.

    ResponderEliminar
  13. Sublime Amiga,
    Gratíssimo pela sua preciosa dica. Parece que resulta. O problema estava no pico.
    Bjis
    J

    ResponderEliminar
  14. MARIA, apenas repito: ¨Pudesse eu¨.

    Beijos

    Paloma

    ResponderEliminar
  15. Boa noite querida Maria, poesia bela, singela e direta, como e teu blog., sdds de ti...bjin

    ResponderEliminar
  16. Que belíssimo poema! Obrigada pela partilha e pela visita. Beijinho

    ResponderEliminar
  17. Olá Maria!

    embora atrasado venho conferir este belo e sensitivo poema da consagrada poetiza Sophia...Sempre muito aconchegante e cuidado o teu blogue.

    abraço carinhoso,

    Véu de Maya

    ResponderEliminar
  18. Amiga Maria.Pessoalmente adoro Sophia,tem magia as suas palavras,quem dera escrever a beleza como ela o fazia,adorei a foto porque gosto de borboletas.
    Beijinho e tudo de bom.

    ps:desculpa a ausência?

    Já vim por duas vezes e não estava a conseguir comentar?

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.