quinta-feira, 16 de junho de 2011

"Ericeira, onde o mar é mais azul..."


Ericeira é uma antiga e pitoresca vila turística situada a 35 km a noroeste do centro de Lisboa, a 18 km de Sintra e a 8 km de Mafra. É uma freguesia do concelho de Mafra que tem o mar como fonte inspiradora.


Foto: Pessoal

Reza a lenda que o nome Ericeira significa, na origem, "terra de ouriços", devido aos numerosos ouriços do mar que abundavam nas suas praias. No entanto, investigações mais recentes apontam o ouriço-cacheiro e não o do mar como inspirador do nome. Com a descoberta de um exemplar do antigo brasão da Vila, hoje no Arquivo-Museu da Misericórdia, confirmou-se que o animal ali desenhado é, de facto, um ouriço-cacheiro. espécie que evoca a deusa fenícia Astarte. O que dá razão à tese anteriormente avançada por Manuel Gandra, segundo a qual a origem do povo da Ericeira remonta aos fenícios.

Foto: Pessoal

A história da Ericeira remonta, assim, a cerca de 1000 a.C.. O seu primeiro foral data de 1229, concedido pelo então Grão-Mestre da Ordem de Aviz, Dom Frei Fernão Rodrigues Monteiro, que assim instituiu o Concelho da Ericeira.
Deve-se ao porto da Ericeira o desenvolvimento da vila, noutros tempos habitada quase só por gente do mar, que formou durante muitos séculos um grupo étnico-geográfico denominado Jagoz, diferente dos restantes habitantes da região Saloia.

Foto: Pessoal

Esta vila conheceu no século XIX a sua época áurea, tendo sido o porto mais concorrido da Estremadura, com alfândega, por onde se fazia o abastecimento de quase toda a província, tornou-o num pólo fundamental da economia da região.
O embarque para o exílio da Família Real Portuguesa, episódio que assinala o fim da Monarquia em Portugal, fará sempre do porto da Ericeira um dos locais mais dramáticos da geografia do Concelho de Mafra.

Foto: pessoal


As praias e os pesqueiros, bem assim como o património monumental e o gastronómico, com base numa variedade de peixes e mariscos, constituem os seus maiores atractivos.


Foto: Pessoal
Praias
A beleza natural associada à forte concentração de iodo levou a que as praias da Ericeira passassem a ser frequentadas, desde o início do século XIX, por gente ilustre da época, como Bispo de Coimbra ou, mais tarde, a Rainha D. Maria Pia.
Em 1888 já se encontrava estabelecida na Ericeira uma colónia balnear de carácter sazonal, registando-se por essa altura a instalação de famílias aristocráticas de Lisboa, como as Burnay, Ulrich, ou Rivotti, que ocuparam, com as suas vivendas apalaçadas, a zona envolvente da praia do Sul. A localização próxima de Lisboa e o desenvolvimento da rede viária permitiram, a partir dos anos cinquenta, uma maior afluência de veraneantes, que tornaram a Ericeira e seus arredores numa das zonas de excelência no turismo balnear do nosso país.

 Foto: Pessoal

Actualmente a Ericeira tem sido considerada um dos melhores spots de surf de Portugal e da Europa, sendo normalmente um dos palcos escolhidos para o Campeonato de Mundo da modalidade. Esta localidade tem várias características que fazem dela um local ideal para o surf de elevada qualidade: mar com ondas e praias quer com fundos de rocha ("point-breaks"), quer com fundos de areia ("beach-breaks"). Por outro lado, dispõe de praias com diferentes níveis de dificuldade, oscilando entre os spots onde não são permitidos quaisquer erros e os spots onde se pode aprender com facilidade e praticar sem perigo.

Foto: Pessoal

A visitar
Forte de São Pedro da Ericeira
O Forte de São Pedro da Ericeira, também conhecido como Forte de Mil Regos, Forte de Milreu ou Forte da Ericeira, é o último remanescente dos poucos fortes erguidos à época da Restauração da Independência para defesa daquele trecho do litoral. Destinava-se a controlar o acesso marítimo à Ericeira pelo setor norte e, ao mesmo tempo, prevenir qualquer tentativa de desembarque na baía vizinha, formada pela praia de Ribeira de Ilhas. Actualmente conservam-se os seus espaços mais importantes: a bateria, formada por uma ampla esplanada voltada para o mare a casa-forte, pelo lado de terra, comporta por compartimentos abobadados.


Foto: Pessoal

Forte de Nossa Senhora da Natividade
Foi erguido em 1706 sob o reinado de Pedro II de Portugal, para defesa do porto de pesca e praia dos Pescadores. No século XX, após campanha de recuperação empreendida pela Junta de Turismo da Ericeira e pela Câmara Municipal de Mafra, o forte foi aberto ao público em 1976.

Foto: Pessoal

Igreja de São Pedro (Ericeira)
A igreja paroquial, outrora situada num ermo a Noroeste da vila (considerada ainda distante no séc. XVII), hoje está completamente enquadrada pela malha urbana que se desenvolveu a partir da segunda metade do séc. XVIII. A capela-mor exibe quatro telas retratando a vida de São Pedro e, ainda, o retábulo e o sacrário em talha e imagens barrocas de São João Evangelista e de São Pedro. Frente à igreja existe um cruzeiro que foi erigido em 1782. Na nave existem quatro altares laterais com as seguintes invocações: Nossa Senhora da Conceição, Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora do Rosário e o Calvário.

Foto: Pessoal

Capela de São Sebastião (Ericeira)
Ermida cuja origem parece remontar ao século XV ou início de XVI, situada fora da vila, tem o interior totalmente forrado a azulejos. A pequena capela de São Sebastião, está junto à estrada que liga Sintra e a Ericeira. Contrastando com a simplicidade exterior e com a brandura da cal, o interior é de grande riqueza e colorido, formado por um revestimento quase completo de ajulejaria seiscentista policroma (azul e amarelo) criando padrões decorados com motivos vegetalistas e geométricos de grande efeito estético.

Foto: Pessoal


Capela de Nossa Senhora do Rosário da Misericórdia

Esta igreja, que inclui um museu, foi construída durante o século XVII, no local onde existia a Capela do Espírito Santo. Data de 1678 a fundação da igreja, por Francisco Lopes Franco, procurador dos condes da Ericeira. Merecem ser admiradas as pinturas do tecto e do coro.

Esta igreja possui ainda uma colecção de nove bandeiras que representam a Paixão de Cristo e que costumam ser exibidas na Procissão dos Fogaréus, que sai às ruas na Quinta-feira Santa.

O museu foi fundado em 1937 pela Santa Casa da Misericórdia da Ericeira e pelas Juntas de Freguesia e de Turismo da Ericeira. Dispõe de um grande património constituído por variados objectos e por livros antigos e recentes, muitos deles relativos à história da Ericeira e da região em que se insere.

Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem
A capela hoje mais conhecida como de "Santo António", situa-se numa plataforma sobre a Praia dos Pescadores na Vila da Ericeira, formando o epicentro da progressão urbana da vila. Diz-se ainda hoje que divide o Norte do Sul. Sobre a história da capela pouco se sabe, sobretudo anteriormente ao sec. XVII. Alguns registos apontam-na como coeva à Paroquial (sec XIV ou XV), não registando vestigios materiais dessa época.
Foi capela da Câmara, próximo do primeiro Paço do Concelho. Sabe-se que em 1609, já era sede das confrarias de Nossa Senhora da Boa Viagem dos Homens do Mar e nela decorriam as suas sessões. Em 1645, passou a ser a Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem.

Foto: Pessoal

Onde Dormir
Hotel Vila Galé Ericeira
Beachtour Ericeira
Hotel Vilazul
Quinta dos Raposeiros –Turismo Rural
Residencial Vinnus
Ericeira Camping & Bungalows

Foto: Pessoal

Onde comer
A ericeira tem uma rica e longa tradição Gastronómica, sendo famosa principalmente pelos seus pratos de peixe e Marisco.

Recomendo pela excelente qualidade da comida, do serviço e localização:
■ Restaurante Esplanada Furnas
■ Restaurante Mar à Vista
■ Restaurante e Marisqueira Dom Carlos
■ Restaurante e Marisqueira César
■ Restaurante Bar Sabor A'mar
■ Restaurante Marisqueira de Ribamar

Festas e Romarias
• Festa de S. Sebastião (Domingo mais próximo de dia 20 de Janeiro)
• Festa de S. Vicente (22 de Janeiro)
• Procissão do Sr. Morto (Sexta-feita Santa)
• Festa de S. Pedro (Padroeiro), (28 de Junho)
• Feira de Santiago ou dos Alhos (25 de Julho), (actualmente só se realiza a feira dos alhos, a de Santiago foi extinta pela Junta de Freguesia)
• Festa da N. Sra. da Boa Viagem (3º Domingo de Agosto)
• Festa do Sagrado Coração De Jesus (Agosto)
• Festa da N. Sra. da Conceição (8 de Dezembro)
• Festa da N. Sra. da Nazaré (realiza-se de 17 em dezessete anos, a próxima será em 2016)

Foto: Pessoal


A Ericeira é uma simpática vila, procurada pelas suas características climáticas e alto teor de iodo das suas águas, pelo seu património monumental e gastronómico, que aliados à simpatia das suas gentes e a uma paisagem deslumbrante, cativam quem a visita.

Vá visitar, Vale a pena!

Fontes: Wikipedia; http://www.ericeira.org/;
Fotos: Pessoais



Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

15 comentários:

  1. Bom Dia,Maria!
    Um roteiro mt completo e agradável na sua companhia.
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  2. Um passeio maravilhoso pelas imagens e pela História, beijos.

    ResponderEliminar
  3. Deve ser linda mesmo! Quanta coisa pra ver!beijos,chica

    ResponderEliminar
  4. oi Maria,

    me deu vontade
    de ir para o aeroporto
    nesse minuto,
    deixar tudo para traz e viajar,

    conhecer esses lugares encantadores...
    talvez em breve,
    quem sabe!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Bom dia Maria! Com certeza essa foi uma viagem emocionante à Portugal. Lindas prais, lindo lugar. E saber mais sobre Portugal é sempre maravilhoso. Nossa pátria mãe, nossa cultura e nossas vidas sempre estarão ligadas a portuguesa com certeza. Grande abraço.

    ResponderEliminar
  6. Maria, que linda viajem!
    Lindas imagens, destaco as igrejas em especial a Capela de São sebastião, é lindinha, fiquei imaginando seu interior...
    Obrigada pela partilha!
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  7. Hoje estou em casa....Mesmo indo muito à Ericeira,
    onde fiz a maioria das minhas exposições, notei
    que há muitos Restaurantes e festanças, que não
    conhecia.....Pensei que conhecia a Ericeira....!!
    Obrigado pelas dicas, que aproveitarei....
    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Olá, Maria

    Adorei esta 'viagem' a Ericeira. Há muitos aspectos aqui focados que eu desconhecia. Esta excelente informação incentiva a uma ida lá com mais vagar para visitar os monumentos, os vários recantos e apreciar a boa gastronomia.

    Beijo

    Olinda

    ResponderEliminar
  9. Que lugar magnifico minha querida.. amei conhecer...
    Boa tarde amiga...beijos...
    Valéria

    ResponderEliminar
  10. Ah, Maria, meu maior sonho é conhecer todos os lugares que romontam origens históricas de assentamento humano. Acho que é aproximar cada vez mais de nossas origens. Sem contar a beleza da arquitetura que a meu ver é muito mais bela do que as modernas.Obrigado pelo passeio. Abraços. Paz e bem.

    ResponderEliminar
  11. Olá Maria
    Esta é uma boa sugestão de fim de semana ou de férias. A vila é bastante bonita e comer um bom peixe ou marisco a olhar para o mar é um convite irresistível.
    Beijinhos
    Lourdes

    ResponderEliminar
  12. Maria!
    Fiquei com água na boca!
    Uma ideia para este fim de semana, para mim retornar há Ericeira é sempre muito agradável.
    Abraço
    Katy

    ResponderEliminar
  13. Boa noite!
    Passando para apreciar teus posts maravilhosos e te desejar um ótimo final de semana.
    Que belo lugar..cheio de história e beleza...Adorei.
    Beijo,
    Mara

    ResponderEliminar
  14. Olá!

    Belo trabalho! Gostei imenso da publicação, fez uma boa pesquisa. Está realmente muito bem feito. E as fotos são giras... poderias era acrescentar as fontes da informação e de quem são as fotos. É que reconheci algumas das minhas :D ... gostei que as tenhas usado é sempre bom ver que algo que eu fiz teve um bom uso. Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  15. Respondendo a Rui
    Agradeço sinceramente as suas gentis palavras relativamente ao meu artigo e blog. Esta publicação já foi feita em 2011 e nessa altura eu só costumava colocar as fontes no final do artigo. Revi as fotos e as que consegui identificar na NET já coloquei por baixo a autoria. Só encontrei uma que penso ser sua, se houver outras por favor indique que eu irei colocar o seu nome.
    Um abraço
    Maria

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.