terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

A DANÇA - Poema de Pablo Neruda




Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo secretamente, entre a sombra e a alma.
.
Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascender da terra.
.
Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo directamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,
.
Se não assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que a tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.

Pablo Neruda




16 comentários:

  1. Muito lindo poema de Neruda, bela escolha, parabéns,beijos.

    ResponderEliminar
  2. Gracias Maria por publicar un poema de mis poetas favoritos.
    Pablo Neruda y khalil Gibran son mis predilectos...

    Saludos argentinos y buena semana.

    Sergio.

    ResponderEliminar
  3. Sintonia perfeira entre poesia e imagem...Lindas!!!
    Obrigada pela partilha.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  4. Lindíssimo poema de Neruda amiga... adorei a imagem... que encanto...
    Tenha uma divina semana...beijinhos...
    Valéria

    ResponderEliminar
  5. Queria Maria

    Nosa! Que poema mais lindo... Que amor profundo é esse que mesmo sem florescer ainda vive? Mesmo que não se prove o quanto e que não o vejam é puro, é terno, é eterno... Assim como Neruda.

    Uma ótima Semana!
    Chris

    ResponderEliminar
  6. Que foi isso? Um pássaro voando bem alto?Certamente.

    BeijooO*

    ResponderEliminar
  7. Delícia de leitura!!! Obrigada pela partilha!!!

    Beijos de passarinho!!!

    ResponderEliminar
  8. Oi minha amada,tudo bem?
    Eu demorei pq estava viajando.
    Ah oamor vai entender o que acontece né minha flor.
    Esse poema é maravilhoso.
    Parabéns pelo bom gosto.
    Beijokas milllll.

    ResponderEliminar
  9. Palavras para Neruda,será difícel descrever os sentimentos que ele coloca em cada palavra.Adoro este poeta,lindo e sensível.
    Beijinho e tudo de bom

    ResponderEliminar
  10. Maria
    Minha querida sou suspeita para dizer algo sobre os poemas de Neruda de quem sou fã. Este então é daqueles que eu estava a necessitar ler. falando de um amor profundo. Obrigado minha amiga pela partilha.
    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Ola vim matar minha saudades.
    Obrigada pelo carinho. Agradeço pela sua amizade.. Carinho.
    Como é bom abrir as portas do Blog e poder te encontrar.
    Desculpe pela ausencia. Mas nenm sempre conseguimos fazer tudo, como pensamos. Sempre precisamos dar um tempo.
    Obrigada pelo seu carinho. assim que puder voltarei.
    Carinhosamente,deixo o meu abraço..
    Sandra.

    A Amizade é um grande tesouro que encontramos.. Um Brilhante que esta sempre a brilhar.
    Até mais..

    ResponderEliminar
  12. Oi amiga!

    Tem um selo pra você no meu blog!

    http://marionentrelinhas.blogspot.com/

    Abraço.

    ResponderEliminar
  13. Querida Maria, que versos tão lindos, sabes soou fã de Paulo Neruda, acho lindos as suas pesias , obrigada amiga pela escolha. Um abraço carinhoso Celina.

    ResponderEliminar
  14. O que dizer de Pablo Neruda? só sei que adoro suas poesias...
    Bjs.

    ResponderEliminar
  15. Maria!
    Adorei vim visitar você e encontrar uma das poesias do Neruda que amo muito! A sintonia entre a imagem e o texto está perfeita. Tão interessante a poesia unir pessoas tão distantes, pelo mesmo gosto. Acho seu blog uma graça e viajo nas imagens de sua terra. Parabéns!!!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.