quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A Bailarina - Poema de Cecília Meireles





Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.

Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá

Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.

Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.

Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.

Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.

Cecília Meireles


10 comentários:

  1. Linda e doce poesia!beijos e desejo, desde ja, um lindo fds!chica

    ResponderEliminar
  2. Maria Querida
    Muito bonito este poema de Cecilia Meireles, com esta imagem lindissima a completar numa só beleza.
    Bejinho

    ResponderEliminar
  3. Oi Maria, que poesia mais singela, combina com a bailarina da foto que é muito linda.
    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  4. Mas que mimo de poesia e de imagem...adorei...
    Beijinhos e ótimo dia querida.
    Valéria

    ResponderEliminar
  5. OLÁ MARIA

    Passei por aqui em boa hora!!!
    Adorei ler aqui a sua bailarina, fez-me lembrar perto de trinta anos atrás, em que eu trabalhando com um grupo de jovens de todas as idades, tinha uma menina vestida de bailarina, a dizer este poema num espetáculo, muito bonito e apreciado!!!
    1 beijo Lídia

    ResponderEliminar
  6. Belo e singelo poema de Cecilia Meireles, acompanhado da maravilhosa imagem de uma linda manina.

    ResponderEliminar
  7. Olá amiga!!!Que linda poesia,maravilha,tenha uma boa noite,bjos.

    ResponderEliminar
  8. Querida amiga, linda e doce poesia, como a alma de uma criança. Beijocas

    ResponderEliminar
  9. Oi Maria,
    Me lembro que quando li esse poema pela primeira vez fiz um cartão para uma menina que acabara de nascer... faz quinze anos da pequena bailarina.
    Lindo!
    Bjs.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.