quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Retrato de Mulher Triste - Poema de Cecilia Meirelles



Vestiu-se para um baile que não há.
Sentou-se com suas últimas jóias.
E olha para o lado, imóvel.

Está vendo os salões que se acabaram,
embala-se em valsas que não dançou,
levemente sorri para um homem.
O homem que não existiu.

Se alguém lhe disser que sonha,
levantará com desdém o arco das sobrancelhas,
Pois jamais se viveu com tanta plenitude.

Mas para falar da sua vida
tem de baixar as quase infantis pestanas,
e esperar que se apaguem duas infinitas lágrimas.

Cecília Meireles


6 comentários:

  1. Lindo! Profundo e ao mesmo tempo suave...
    Sempre Cecília.
    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Lindo e maravilhoso poema, carregado de significado.

    ResponderEliminar
  3. Oi anjo

    Hoje é um dia qualquer, mas... um Oi
    mesmo que virtual já faz a diferença!!
    Por isto estou aqui, para deixar
    minha marquinha
    em seu coração
    dizendo:

    Você é Muito Especial!!!

    TENHA UMA TARDE MAGINIFICA !!!

    ResponderEliminar
  4. Tenho um selinho pra ti no Blog A CASA DA FADA...

    Beijo

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.