sábado, 8 de janeiro de 2011

Angústia - Poema de Florbela Espanca




Tortura do pensar! Triste lamento!
Quem nos dera calar a tua voz!
Quem nos dera cá dentro, muito a sós,
Estrangular a hidra num momento!

E não se quer pensar! ... e o pensamento
Sempre a morder-nos bem, dentro de nós ...
Querer apagar no céu – ó sonho atroz! –
O brilho duma estrela, com o vento! ...

E não se apaga, não ... nada se apaga!
Vem sempre rastejando como a vaga ...
Vem sempre perguntando: “O que te resta? ...”

Ah! não ser mais que o vago, o infinito!
Ser pedaço de gelo, ser granito,
Ser rugido de tigre na floresta!

Florbela Espanca



26 comentários:

  1. Olá amiga Maria!
    Desculpe lá a minha ausência, mas este ano novo parece que tem menos tempo, que outro que já passou, mas nunca nunca me esquece de si, posso demorar mas não falto.
    Os sonetos de Florbela, são sempre uma maravilha, aliás como toda a sua poesia, obrigada pela partilha.

    Um bom fim de semana,
    e um beijinho,
    José.

    ResponderEliminar
  2. Pior od que os que opassam por nós e não vão sós são os... que decidem por nós e fazem de mnós totós...)alguns politicos corruptos).

    ResponderEliminar
  3. Simplesmente apaixonante as suas páginas.
    Encontrar um poema de Florbela Espanca aqui foi maravilhoso...
    Um forte abraço

    ResponderEliminar
  4. Florbela Espanca, com seus poemas maravolhosos. Já morei numa rua com o seu nome.

    ResponderEliminar
  5. Florbela é sempre notícia...sempre viva...
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Maravilhoso estar aqui...neste blog demais lindo, lendo minha poetisa preferida!!
    Uma emoção minha amiga!
    Umm 2011 maravilhoso!
    beijo com carinho
    Bea

    ResponderEliminar
  7. Eu amo Florbela Espanca....sempre tão profunda.
    Queria comentar sobre o e-mail na postagem anterior, já havia recebido e sempre conto essa 'história' para meus amigos, esse sim é o verdadeiro amor, não é Maria? Aliás, queria dizer que sou fã de seu nome... Minha mãe se chama Maria, minha prima também.. e como acredito muito em Nossa Senhora, também não poderia deixar de mencioná-la.
    Um forte abraço!

    ResponderEliminar
  8. Olá Maria!!Bom Dia!

    Florbela Espanca é uma descoberta pra mim!!Recentemente comprei um livro de Sonetos dela e tenho me encantado!!!

    beijos!!
    Bom domingo!!

    ResponderEliminar
  9. ....

    Excelente escolha, este soneto de Florbela Espanca.
    Bom domingo para ti, amiga.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  10. Amo os poemas da Florbela!

    Querida Maria, já te disse que somos xarás? Eu também sou MARIA Aparecida. Na minha casa, o nome das cinco irmãs começa com Maria...:)

    Vim aqui pra te agradecer a visita e as palavras tão carinhosas que você deixou lá no meu mosaicos.
    Obrigada de coração!

    Tenha uma linda semana junto aos seus.

    Beijinhos

    Cid@

    ResponderEliminar
  11. Nas linhas a vida caminha em versos/semi-pontos.
    É bom estar de volta nesse mundo das palavras.

    Meu beijooO*

    ResponderEliminar
  12. Adoro Florbela Espanca!
    Adorei a escolha.

    ResponderEliminar
  13. Lindo este poema minha querida amiga, ou não fosse Florbela Espanca uma mulher sofredora.
    Tenha um lindo final de semana e muito agradecida pelo seu carinho, sempre constante em minha vida, beijinhos de luz em seu coração.

    ResponderEliminar
  14. Oie, blog muito legal o seu, álem de mais dois que você tem né!! seguindo você

    tiver um tempinho, faça uma visita ao meu blog

    http://jeffersondavi.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  15. Lindo poema amiga...
    A Florbela sempre arrasa!
    Mesmo um poema de angústia fica tão lindo... rs

    Obrigada pelo carinho tá.
    Feliz 2011.

    Bjos no coração!

    ResponderEliminar
  16. Que pérola!!
    Sempre tão lindo chegar aqui.
    Faz a alma voar...
    Beijo grande querida

    ResponderEliminar
  17. Gosto demais de tuas escolhas...
    Na maior parte da vida desejamos mesmo estrangular certos pensamentos. Quando isto me acontece começo a cantar uma música qualquer para dispersar os maus pensamentos, pelo menos por um tempo.
    Beijos,ótimo 2011.
    Léah

    ResponderEliminar
  18. Deixei um mimo para você no meu Blog espero que goste!
    Passa la http://palavraspelocaminho.blogspot.com/2011/01/mais-selinhos.html

    ResponderEliminar
  19. Gosto muito de suas escolhas, lindo poema.
    beijos bom 2011,
    Léah

    ResponderEliminar
  20. Mas...Quem não gosta dos poemas de Soror Mariana?
    A solidão deu-lhe para a poesia de Amor.

    Grato pela passagm em meu espaço. As rosas não acabam em Janeiro. Há sempre um ramo que resiste à poda. Também as andorinhas não aparecem só na Primavera. A vida tem sempre muitas Primaveras, o que é preciso é saber aproveitá-las. Um abraço de amizade.

    ResponderEliminar
  21. Florbela é Florbela e está tudo dito...
    beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Como adoro Florbela Espanca! Neste momento estou vivendo este soneto. Como ela trazia em suas palavras o que o coração sentia!
    Ah, Florbela, sempre te encontro viva, como nunca!
    Ah, como gostaria de viver esta mente, mesmo melancólica!
    Bela escolha de Post e bela formatação!

    ResponderEliminar
  23. Obrigado pela visita e por me seguir, tenha uma boa noite... abraços e beijos!!

    http://jeffersondavi.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  24. Oi Maria ! Adoro Florbela !

    Bom início de semana.

    Beijo

    ResponderEliminar
  25. Flor Bela, simplesmente mais que belos são os seus dizeres que encantam

    Lindo como todos são...

    Bjs


    Livinha

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.