sexta-feira, 30 de abril de 2010

Divagar pelo mundo em fotografias



"Fotografar é congelar o momento é travar um instante, é segurar o tempo é tornar tudo importante, cada detalhe se mostra, cada cor se revela, nada se deixa passar, nada é irrelevante. É observar o segundo pela forma mais bela é ter nas mãos o tempo. Tão fascinante quanto o poder é poder fotografar... " (desconheço o autor)

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.” (Carlos Drummond de Andrade)




"A felicidade não está no fim da jornada, e sim em cada curva do caminho que percorremos para encontrá-la." (Autor desconhecido)





"Fotografar é recortar um determinado espaço em uma específica fração de tempo. Os grandes fotógrafos são aqueles que conseguem ultrapassar essas limitações, fazendo com que essa determinada imagem transcenda molduras e retenha o tempo em seu momento mais preciso." (desconheço o autor)




"O tempo é uma ilusão produzida pelos nossos estados de consciência à medida em que caminhamos através da duração eterna." (Isaac Newton)


"O que sabemos é uma gota; o que ignoramos é um oceano." (Isaac Newton)




"Fotografar é desenhar, utilizando a luz como pincel, a natureza como tinta e o filme como tela, podendo assim imortalizar aquela imagem ou momento escolhido, enquanto o mundo segue em contínua mutação.



"O pôr-do-sol é um momento fugaz, porém mágico , onde a luz que nós permite ver e manifestar a vida, se expõe como entidade e mostra a sua "cara", numa linda bola de fogo, suspensa no horizonte, podendo ter várias molduras e múltiplas tonalidades. Basta querer enxergar, e quem sabe um dia finalmente ver, que tudo, inclusive nós mesmos, é fruto desta luz, e que dela viemos e para ela retornaremos." (Dr. Dimos Iksilara)



"A felicidade não está em viver, mas em saber viver. Não vive mais o que mais vive, mas o que melhor vive." (Mahatma Gandhi)

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Pintor Botticelli


Alessandro di Mariano di Vanni Filipepi, dito Sandro Botticelli (Florença, Itália, 1º de março de 1445 – Florença, Itália, 17 de maio de 1510)

Um dos mais importantes nomes do Renascimento, algumas de suas obras, como O Nascimento da Vênus e Primavera, são consideradas exemplos perfeitos do ideal renascentista.

Nascido em Florença, Alessandro Di Mariano Filipepi era filho de um curtidor de couro. O nome Botticelli foi derivado do apelido de seu irmão mais velho, Giovani, conhecido como II Botticello (o pequeno barril). Ainda na infância, tornou-se aprendiz de ourives, mas logo descobriu a sua preferência pela pintura.

Com dezoito anos de idade, iniciou a sua formação de pintor com Fra Filippo Lippi, um dos pintores mais célebres de Florença, que influencia fortemente suas primeiras obras. Trabalhou mais tarde com o pintor e gravador Antonio Del Pollaiuolo. Em 1470, já tinha o seu próprio ateliê em Florença. Ficou famoso pelos seus retratos, tendo tido como patronos a família Médici.

Botticelli pintou não apenas Giuliano, irmão do poderoso Lorenzo de Médici, como também fez retratos póstumos de seu avô Cosimo de Médici e de seu pai, Piero. As feições dos membros da família Médici também foram usadas para compor os personagens do quadro Adoração dos Magos (1476-1477).


Pintou cenas mitológicas, como "A Primavera" (1477) e "O Nascimento da Vênus" (1483), uma das mais célebres obras do renascimento.


Também fez muitos quadros com temática religiosa. Destacam-se: A Virgem Escrevendo o Magnificat (década de 1480),


Fresco sobre Santo Agostinho (1480), A Virgem com o Menino e Dois Santos (1485), São Sebastião (1473-1474) A Coroação da Virgem (1490)


Em 1481, Botticelli foi chamado a Roma pelo Papa Sisto 4º. para trabalhar, junto com Ghirlandaio, Luca Signorelli, Cosimo Rosselli e Perugino, na decoração da capela Sistina, no Vaticano, onde realizou os afrescos "O castigo dos Rebeldes",


"As provações de Moisés,


e a "Tentação de Cristo".


Os anos que se seguiram a 1494 foram difíceis tanto para a cidade de Florença como para o pintor. Os Medici perderam o poder e o monge dominicano Girolamo Savonarola instaurou um governo republicano que criticava a corrupção da Igreja. Botticelli refletiu a tensão do período e a devoção religiosa em "Pietá" (década de 1490), "Crucificação Mística" (1497) e "Natividade Mística" (1501).


Totalmente dedicado à sua arte, Sandro Botticelli não casou nem teve filhos. Morreu em Florença.

Fontes: Wikipedia, netsaber, sabercultural, outros

montagem de fotos


"As grandes obras de arte somente são grandes por serem acessíveis e compreendidas por todos." (Leon Tolstoi)

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Camélia a flor da fidelidade




A Camélia é um arbusto formado por uma folhagem brilhante que se mantém verde inclusive no Inverno, daí ser chamada a flor da fidelidade.


As suas flores são exuberantes e ao contrário da maior parte das flores, elas impõem a sua beleza numa época do ano em que as condições climatéricas se apresentam menos favoráveis, oferecendo nas estações frias do Outono e Inverno uma flor de incrível beleza que pode ser de cor branca, rosa, vermelha e matizadas de branco e vermelho.


São originárias da Ásia, as flores depois de apanhadas podem durar vários dias dentro de uma jarra com água, as folhas sendo muito resistentes e brilhantes, são muito decorativas e excelentes para colocar juntamente com outras flores, funcionando como acompanhamento em arranjos florais.


Reprodução: A camélia reproduz-se por sementes, estacas retiradas das pontas dos ramos de plantas adultas e sadias. Em viveiros, é possível adquirir mudas de camélia já crescidas, o que facilita bastante o cultivo.

Floração: Outono e Inverno


Solo: O solo deve ser fértil e bem drenado. Para o plantio em vasos, recomenda-se a seguinte mistura: 2 partes de terra comum, 1 parte de terra vegetal e 1 parte de composto orgânico.

Temperatura e luz : O clima ideal para o cultivo é o ameno, pois a planta não adapta-se bem a temperaturas elevadas. Por outro lado, a camélia é bem resistente ao frio, inclusive às geadas. Pode ser cultivada à meia-sombra, desde que receba luz solar directa algumas horas por dia.


Rega: As regas devem ser frequentes nos primeiros meses após o plantio da muda e, depois, podem ser espaçadas, evitando o encharcamento do solo.



Podas: Para manter um visual equilibrado, principalmente na camélia cultivada em um jardim, recomenda-se uma poda de formação, após o término da floração. Retirar pequenos ramos da ponta ou do meio e colocar para enraizar em substrato tipo areia ou casca de arroz carbonizada, mantidas húmidas e à sombra. Os ramos da ponta produzem flores em 3 a 4 anos enquanto os do meio levam mais tempo.


Pragas e doenças: As camélias em geral; são bem rústicas e resistentes, mas em condições adversas podem ser atacadas por pulgões, cochonilhas e até por formigas que costumam atacar as folhas novas. Quanto às doenças, quando há excesso de água das regas, podem surgir doenças causadas por fungos, que aparecem na forma de manchas semelhantes à ferrugem nas folhas.


Dicas: Para afastar pulgões, ferver algumas folhas de arruda, coar e diluir em um pouco de água. Borrifar nas folhas e brotos atacados. O chá feito com folhas de losna combate pulgões e também cochonilhas.

Curiosidades: É a flor inspiradora do romance "A Dama das Camélias", de Alexandre Dumas Filho. Na linguagem das flores, as camélias brancas significam virtude despretensiosa e beleza perfeita, ao passo que as camélias cor-de-rosa representam a grandeza da alma e as camélias vermelhas o reconhecimento. A tradição popular fala de uma antiga rivalidade entre a Rosa e a Camélia por, a primeira, ser tão perfumada mas terrivelmente espinhosa e, a segunda, ser meiga mas ter um cheiro tão ténue, quase inexistente.



Fontes e Fotos: “Mundodeflores”, “Wikipedia”, PlantasdeInterior”, “JardimdeFlores”, outros net


terça-feira, 27 de abril de 2010

A Arte de trabalhar metal

O trabalho da artista canadense, Cal Lane é simplesmente maravilhoso.


Cal Lane, usa a técnica de soldadura e ferramentas de corte de metal para criar delicados padrões rendados, como se fossem filigranas em superfícies de metal.


Os objectos escolhidos para o seu trabalho são de lixo industrial e doméstico, como velhos bidons de óleo, pás, tampas de esgotos, pedaços de maquinaria e de automóveis.


Ela trabalha objectos de grandes proporções, material reciclado ou totalmente desprovido de beleza estética , tornando peças “brutas” em verdadeiras peças de arte.


O que ela faz tem algum significado : Ela mesmo define seu trabalho !


" Eu gosto de trabalhar como advogado do diabo visual, utilizando contradição como um veículo para encontrar meu caminho para uma imagem de empatia, uma imagem de oposição que cria um equilíbrio - assim como um choque -, comparando e contrastando ideias e materiais, manifestado em uma série de "Industrial Doilies", reunindo industrial e doméstico vida, bem como as relações de forte e delicado, masculino e feminino, prático e frivolidade, ornamentos e função....”


“O aço que esmago e corto em finas rendas criam uma cortina de perturbação e tristeza, um conflito de atração para trabalhar fantasias”.


“Eu gosto de trabalhar como artista visual, utilizando a contradição como um veículo para encontrar meu caminho com imagens que criam um equilíbrio - assim como um choque - comparando e contrastando idéias e materiais”.


Esta artista utiliza as ferramentas de soldadura como um pincel para criar arte. A sua criatividade é impressionante.

Para saber mais sobre o trabalho de Cal Lane visite o seu site: http://www.callane.com/works.html


"A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação." (Fernando Pessoa)

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Fácil e Difícil



"É fácil trocar as palavras,
Difícil é interpretar os silêncios!
É fácil caminhar lado a lado,
Difícil é saber como se encontrar!
É fácil beijar o rosto,
Difícil é chegar ao coração!
É fácil apertar as mãos,
Difícil é reter o calor!
É fácil sentir o amor,
Difícil é conter sua torrente!

Como é por dentro outra pessoa?
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição
De qualquer semelhança no fundo."



Autor: Embora seja atribuído em muitos sites a Fernando Pessoa, segundo o Wikiquote carece de fontes.


"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena." (Fernando Pessoa)

Jardim Oriental Buddha Éden - Quinta dos Loridos

A Quinta dos Loridos, está situada na freguesia do Carvalhal, concelho do Bombarral.

Foto: Wikipedia_Carlos Luis M C da Cruz

Outrora, estas terras foram pertença do Mosteiro de Alcobaça, que as doou a João Annes Lourido, em 1430. No século XVI a família Sanches de Baena reconstruiu este Solar que é hoje um belo exemplo da nobre arquitectura rural do século XVIII, ostentando o orgulhoso brasão da família Sanches de Baena. A quinta pertenceu mais tarde à família portuguesa Sepúlveda e foi comprada pela JP em 1989, que tem como accionista maioritário o empresário Joe Berardo.

Foto: Wikipedia_Carlos Luis M C da Cruz


A Quinta dos Loridos é um lugar especial, onde a tranquilidade e o contacto com a natureza assumem um papel especial. Hoje é uma unidade hoteleira de luxo e também uma afamada produtora de vinhos, nomeadamente de espumantes.


Foto: Wikipedia_Carlos Luis M C da Cruz


O jardim “Jardim Buda Eden” - O Jardim da paz - foi idealizado e concebido pelo Comendador José Berardo, em resposta à destruição dos Budas Gigantes de Bamyan, naquele que foi um dos maiores actos de barbárie cultural, apagando da memória obras-primas do período tardio da Arte de Gandhara.


Foto:www.jf-carvalhal.pt


O jardim está a ser construído numa área de 35 hectares, pretendendo-se que seja um espaço de calma e paz de espírito. Entre budas, pagodes, estátuas de terracota e várias esculturas cuidadosamente colocadas entre a vegetação, estima-se que foram usadas mais de 6 mil toneladas de mármore e granito para edificar esta obra monumental.


Foto: wikipedia_Reino Baptista


O Jardim do Oriente fica no meio dos vinhedos do Bombarral, em local discreto, nas imediações na Quinta dos Loridos. Ao longe, emergindo das copas das árvores, avistam-se pagodes chineses.


Foto: www.geocaching.com


Um leão de pedra guarda a sua entrada, numa rampa que dá acesso a um moinho recuperado e a um fontanário de pedra branca, importado da China, tal como todas as estátuas. O Oriente começa uns metros mais abaixo, num passeio que pode ter início junto a um lago artificial ladeado de árvores e de estátuas, onde pontificam as do Buda, grandes e quase omnipresentes por se avistarem de vários ângulos.


Foto: Wikipedia_Carlos Luis M C da Cruz


Para Joe Berardo, comendador e filantropo, coleccionador de arte, a quinta dos Loridos “é um local onde as pessoas podem ir para meditar e reflectir sobre si próprias sem qualquer responsabilidade religiosa”. A área do projecto terá vários níveis de estatuária, desde as maiores, que serão “as grandes referências”, até ao nível mais pequeno, com esculturas de meio metro espalhadas por entre os caminhos que se situam no meio das flores e das árvores.


Foto: www.trekearth.com_Magui


A escadaria central é o ponto focal do jardim, onde os buddhas dourados dão calmamente as boas-vindas.


Foto: www.trekearth.com_Aires dos Santos


Os 700 soldados de terracota são pintados à mão e cada um deles é único, encontrando-se alguns enterrados como há 2.200 anos atrás.


Foto: www.geocaching.com


O arquitecto José Cornélio diz que o jardim não será um santuário budista, mas sim “uma evocação do Oriente feita por ocidentais” e que representará também “a presença portuguesa no Oriente e a interpenetração de culturas”.


Foto: Wikipedia_Carlos Luis M C da Cruz


O “Jardim Buda Eden” é um espaço de meditação e onde se consegue encontrar a paz interior que tanto necessitamos. Vale sem sombra de dúvida uma visita.

Fontes e Fotos : Wikipedia; www.bacalhoa.com/; www.guiadacidade.pt; www.geocaching.com; www.trekearth.com; outros net