quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Ao longe, ao luar - Poema de Fernando Pessoa



Ao longe, ao luar,
No rio uma vela,
Serena a passar,
Que é que me revela ?
Não sei, mas meu ser
Tornou-se-me estranho,
E eu sonho sem ver
Os sonhos que tenho.

Que angústia me enlaça ?
Que amor não se explica ?
É a vela que passa
Na noite que fica.

Fernando Pessoa



6 comentários:

  1. Maravilhosa poesia! Um lindo dia, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  2. Lindo lindo...como Fernando Pessoa sabe dizer...
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. MQRIA QUERIDA UM BOM DIA PARA VC, QUE POESIA LINDA SOU FÃ DE FERNAMDO PESSÕA, UM FINAL DE SEMANA BEM LEGAL PARA VC . UM ABRAÇO CARINHOSO CELINA.

    ResponderEliminar
  4. Hoje apetece-me ficar por aqui olhando essa janela!
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Olá!!Bom Dia!!

    Que encanto seu blog!!Fico contente que a Chica tenha dividido o seu link!!
    Amei tudo!!Os textos(adoro Fernando Pessoa)as imagens!!
    Parabéns!!Voltarei!
    Se puderes visite o meu será muito bem vinda!!
    vivian-floreselivros.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Olá amiga Maria!

    Curiosamente hoje vim da Chica cá parar.
    A mesma imagem duas inspirações.

    parabéns.

    Beijinhos

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.