domingo, 19 de setembro de 2010

Lua Adversa - Poema de Cecilia Meireiles


Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Cecília Meireles



10 comentários:

  1. Querida amiga, lindo poema de Cecília Meireles, realmente somos iguais a lua, temos diversas fases. Tenha uma linda semana. Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Maria
    Adoro este poema de Cecília Meireles. Quem é que não passa por diferentes fases na vida? Quem é que nunca teve desencontros?
    Beijinhos
    Lourdes

    ResponderEliminar
  3. Sonhei
    Com mares, com uma longa travessia
    Desfraldei uma vela alva
    Naveguei na chegada, na partida morria

    Sonhei que era um cavaleiro andante
    Por dias de inquietante perdura
    Avistei um vagabundo num espelho de água
    Era a minha alma talhada em pedra fria e dura


    Doce beijo

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Maria, e com ela vem esse jogo de palavras muito interessante.
    Vem a magia também.
    E esses versos que deixo, com tua permissão.

    Lua

    O teu corpo é a brisa ardente
    Que anseio o meu corpo iluminar
    Essa brisa de fulgor fremente
    Vem chegando o desejo de amar

    Beijos, um abraço.

    ResponderEliminar
  5. olá, vim agradecer a visita e dizer que gostei do seu cantinho..tb gosto de fotgrafia, poesia.. temos gostos parecidos .. terei prazer em visitar o seu blog e espero sua visita mais vezes no meu blog tb.. bjs e tenha uma ótima semana LIN

    ResponderEliminar
  6. Olá, lindo poema de Cecília Meireles! Parabéns pela escolha! Bom final de domingo e parabéns pelo blog. Abraço forte.

    ResponderEliminar
  7. A lua e os seus mistérios cantados divinalmente por Cecília Meireles.
    A musicalidade do poema está lindissima

    ResponderEliminar
  8. Em cada poema de Cecília Meireles, encontramos pedaços de nós e nos identificamos. Sublime é a forma como comunica e nos faz emocionar.

    Uma excelente semana e muita paz.
    Kandandos

    ResponderEliminar
  9. Maravilhoso este poema de Cecília Meireles...
    Querida, que sua semana seja repleta de paz, alegrias e amor...beijinhos...
    Valéria

    ResponderEliminar
  10. Adoro os textos de Cecília! Bela escolha, Maria querida!
    Beijoquinhas! Muitas!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.