domingo, 10 de outubro de 2010

As Rosas - Poema de Machado de Assis



Rosas que desabrochais,
Como os primeiros amores,
Aos suaves resplendores
Matinais;

Em vão ostentais, em vão,
A vossa graça suprema;
De pouco vale; é o diadema
Da ilusão.

Em vão encheis de aroma o ar da tarde;
Em vão abris o seio húmido e fresco
Do sol nascente aos beijos amorosos;
Em vão ornais a fronte à meiga virgem;
Em vão, como penhor de puro afecto,
Como um elo das almas,
Passais do seio amante ao seio amante;
Lá bate a hora infausta
Em que é força morrer; as folhas lindas
Perdem o viço da manhã primeira,
As graças e o perfume.
Rosas que sois então? – Restos perdidos,
Folhas mortas que o tempo esquece, e espalha
Brisa do inverno ou mão indiferente.

Tal é o vosso destino,
Ó filhas da natureza;
Em que vos pese à beleza,
Pereceis;
Mas, não... Se a mão de um poeta
Vos cultiva agora, ó rosas,
Mais vivas, mais jubilosas,
Floresceis.

Machado de Assis



12 comentários:

  1. Linda e Simpática Poetiza Amiga:
    Um soberbo e delicioso poema de encantar e fascinar.
    Parabéns pela sua sensibilidade admirável e perfeita.
    Adorei.
    Excelente versejar doce e lindo. Puro e terno.
    Beijinhos amigos ao seu encanto e talento gigantescos.
    Com o maior respeito, estima e consideração.

    pena

    Bem-Haja, pela beleza da sua extraordinária visita no meu blogue.
    Adorei.
    É perfeita.
    MUITO OBRIGADO pela sua amizade que é recíproca.

    ResponderEliminar
  2. Olá amiga Maria!
    Bom dia,um belo poema de Machado de Assis, sobre as rosas, flores que eu tanto gosto, quando oferce flores é quase sempre rosas que oferece

    As rosas têm tanta beleza
    rosas de todas as cores
    são talvez na natureza
    uma das mais lindas flores

    um bom domingo para si, e família,
    um beijinho grande,
    José.

    ResponderEliminar
  3. Olá, Maria!

    Cheio de simbolismo este poema; os olhos do poeta a perpetuarem a beleza efémera das lindas rosas: A beleza não existe se a nossa sensibilidade dela não se der conta...É bem verdade.

    Beijinhos; bom resto de fim de semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
  4. Maria.

    A cada nova visita fico mais feliz, todos que vão chegando deixa um pouco de si e levam um pouco de mim (pronomes Portugal_Brasil) me confude desculpa, enfim, bom tê-la no meu espaço, te seguirei, acredito que muito literatura iremos trocar, opiniões, sugestões.

    Beijo e ótimo domingo.

    Renata

    ResponderEliminar
  5. Muito lindo esse poema, visitar seu blog é uma viagem encantadora.Beijos

    ResponderEliminar
  6. Olá xará!

    Também eu sou Maria (Maria Aparecida) :)

    Quero te agradecer a visitinha ao meu blog, e todo o carinho que você lá deixou.

    Tenha uma semana iluminada!

    Cid@

    ResponderEliminar
  7. O malmequer pequenino
    disse um dia há linda rosa
    por te chamarem rainha
    não sejas tão orgulhosa

    no mesmo jardim nasceram
    duas rosinhas a par
    conforme o vento as abana
    e elas se vão beijar

    as rosas é que são belas
    mas os espinhos que picam
    mas são as rosas que morrem
    e são os espinhos que ficam.

    Beijinhos de luz e bom restinho de domingo.

    ResponderEliminar
  8. Querida Senhora.
    Também gosto de poesia, mas somente sei versejar. Vou tentar enviar-lhe algus versejos sobre o que mais amo.

    Rosas rosas amores tantos
    Rosas rosas lindos amores
    Rosas rosas de pétalas multicolores
    Rosas rosas as mais belas flores
    Rosas rosas de sonhos e odores

    Não há rosas sem espinhos
    Não há flores como elas
    São as rosas as mais belas
    São as rosas as estrelas
    São flores para todos os mimos

    Fui picado pelo amor
    Fui picado por um espinho
    Fui picado mas sem dor
    Foi picadela de menino
    Foi espinho duma flor

    Quem não gostar duma rosa
    Em seu pousar vai o destino
    São asas de mariposa
    São cores do infinito
    Canteiro de rosas que bonito

    As rosas do meu castelo
    Não as dou nem as vendo
    Com elas fica mais belo
    Com elas bem me entendo
    Rosas são o meu desvelo

    Ofereço-vos este versejar com todo o carinho. João de Sousa

    ResponderEliminar
  9. Amigos, obrigado a todos pelas vossas mensagens.
    Sabe tão bem tê-los aqui no meu humilde cantinho.
    Amigos José, Franciete e João, os vossos versos deixaram-me muito feliz, são todos uns poetas maravilhosos e eu fico muito orgulhosa por os ter aqui comigo.
    Tenham uma excelente semana.
    bjs do tamanho do infinito
    Maria

    ResponderEliminar
  10. A poesia, entre outros dons, eterniza instantes.
    Cadinho RoCo

    ResponderEliminar
  11. Linda poesia. Grande Machado de Assis.
    Obrigado por visitar o meu blog. Seja sempre bem-vinda.
    Um abraço e uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  12. Maria

    A ilusração são bonitas rosas amarelas, mas o poema do grande poeta Machado de Assis, enaltece todas, essas flores, cujas variedades são bastantes, sempre belas o que o poeta entendeu bem
    beijos

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.