sábado, 15 de maio de 2010

Saudade - Poema de Pablo Neruda



Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais...

Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Pablo Neruda


11 comentários:

  1. Maria querida...este poema é belíssimo... e como ele diz..."o maior sofrimento é nunca ter sofrido"... é melhor Amar e ter perdido do que nunca ter amado...
    Flor...sempre bom demais vir aqui...
    Tenha um ótimo final de semana...
    Beijos
    Valéria

    ResponderEliminar
  2. Uma saudade tão bonita, a deste poema!
    Deixa a janela da esperança aberta sobre a vida e o que ela nos pode oferecer, basta sabermos aceitar.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  3. Olá Maria, os seus blogs são lindos, sem falar da cultura que eles passam para nós, é um prazer te seguir, esta poesia de Pablo Neruda é linda é um dos poetas que amo! Um abraço carinhoso Celina.

    ResponderEliminar
  4. Saudade é a maior prova de que o passado valeu a pena, saudade é um sentimento bom, porque só sentimos saudades do que foi bom, as coisas ruins a gente esquece.
    Grande abraço agradecendo sempre seus comentários carinhosos em meu blog.
    Obrigada pela força!

    ResponderEliminar
  5. *
    Neruda, sempre o sempre |||
    ,
    quem nunca amou,
    com a saudade ficou,
    de nunca ter amado . . .
    ,
    conchinhas, ficam,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  6. Muito bonito este poema de Neruda, um dos meus favoritos.

    Um beijo para ti Maria, bom fim de semana

    ResponderEliminar
  7. Saudade palavra doce ,que tradus tanto amargor,saudade é como se fosse,espinhos cheirando aflor!
    Sufocado por bezu aquele do tamanho do infinito,ufa!BZU SUAS MÃOS E UM DOMINGO DE PAZ E TERNURA TE DESEJO!

    BZU MÃOS SUAS

    VIVA LA VIDA!

    ResponderEliminar
  8. Minha querida amiga

    uma boa escolha, é um dos poemas mais belos de Neruda, Lindo

    beijinhos
    Com carinho

    Sonhadora

    ResponderEliminar
  9. Oi Maria. Obrigada pelo comentário em meu Blog: SENTIMENTOS. Volte sempre.

    Beijo

    ResponderEliminar
  10. querida Maria!!! tirei um tempo para visitar os amigos da Mel Redi, parabéns pelo Blog, valeu a pena esse meu passeio, só encontrei coisas lindas!!
    Beijos
    Mara Bombo

    ResponderEliminar
  11. Olá, Maria. Belissimo esse poema! È um dos meus favorito. Há tanta verdade e beleza em cada verso. Obrigada amiga pela partilha! Obrigada sempre pelo carinho da visita. Um ótimo domingo! Beijos. Bela imagem!!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.