domingo, 21 de junho de 2009

Obrigado













Maria






“Se Deus não existisse, seria preciso inventá-lo.” Voltaire

sábado, 20 de junho de 2009

Férias no Carvoeiro


Parar de vez em quando e tirar uns dias de descanso, é fundamental para aliviar o stress e seguirmos em frente com mais energia.





Para mim “estar” com a família é sempre o melhor da vida. Na nossa rotina habitual, que tempo temos para a família? Durante a semana no final do dia (com sorte) 3 ou 4 horas, pois é o que é possível arranjar e no fim-de-semana, se ficarmos em casa, cada um dedica-se às suas próprias actividades, sendo difícil estar “realmente juntos”.
Por isso, quando é possível sairmos uns “diazitos”para longe de casa, eu tento aproveitar e apreciá-los ao máximo. Foi o que aconteceu, agora nestes feriados.





Queriamos ir para o Algarve, no entanto não tínhamos qualquer local em mente, por isso procurei na NET um empreendimento, que tivesse piscinas e ao mesmo tempo uma área de jardins. Desta forma, conseguia conciliar os interesses de toda a família, a piscina imprescindível nas férias dos filhos e a natureza, o verde, o campo, que para mim é um bálsamo fundamental, pois ajuda-me a aliviar o “stress” da vida quotidiana.




Encontrei a “Quinta do Paraíso” no Algarve, perto do Carvoeiro, espectacular, todos adoramos e recomendo vivamente, principalmente a quem tem filhos pequenos e queira passar uns dias tranquilos.




As crianças têm imenso espaço para brincar, existindo um kids club com pessoal super simpático, a Vanessa e o Márcio são extremamente atenciosos com as crianças e sabem como cativá-los.




As piscinas são muito agradáveis, bem como o espaço envolvente.




Nós ficamos num bungalow (C4), muito bem localizado, perto das piscinas, do clube das crianças, e da zona de restauração. A casa era bastante espaçosa, com tudo o que é necessário e decorada de forma moderna e confortável.




A ideia era descansar, mas como não conhecíamos essa zona do Algarve, decidimos no Sábado ir visitar as praias das redondezas.




A 1ª foi a praia da Albandeira
Para chegar á praia temos de seguir por uma estrada estreita de via única, onde há ao longo do percurso espaços para nos desviarmos, caso venha algum carro em sentido contrário.



Após alguns km por uma paisagem natural muito bonita, passamos à frente do empreendimento do Luís Figo e do Paulo China o Suites Alba ResorteSpa.




Mais à frente chegamos à zona de estacionamento sobre a praia. É uma praia de pequena dimensão situada numa baía bem protegida por falésias, típicas desta zona da costa algarvia.




A oeste da praia de Albandeira há uma segunda baía rochosa, que quando está maré-cheia, penso que só será possível ter acesso a nado ou de barco, nós tivemos sorte e conseguimos passar através de um túnel escavado por baixo das rochas para esta baía.




É realmente um local muito bonito.




A 2ª praia que visitamos foi a Praia da Marinha
É uma praia linda, com uma grande beleza natural, quer pelas suas rochas, quer pelos túneis naturais. O acesso à praia, é feito através de uma extensa mas suave escadaria, que dá acesso a uma pequena enseada.




Se não descermos para a praia e continuarmos no caminho pedonal, vamos poder ver uma outra pequena baía, para a qual sinceramente não vi qualquer acesso, a não ser por mar. Têm um estacionamento amplo e ordenado.


A nossa próxima paragem foi em Algar Seco.




Algar seco é uma rede de grutas que sobem do mar, passam por debaixo da linha de rochas costeiras e faz entrar a água das marés em piscinas interiores.




Seguindo pelo caminho talhado nas rochas, vamos poder observar os pescadores nas escarpas, que olham o horizonte e tentem conseguir algum peixe fresco para a sua refeição e bem lá do alto, podemos contemplar toda aquela zona de uma beleza extraordinária.




No meio de rochas encontra-se um pequeno mas simpático restaurante.


Terminamos na Praia do Carvoeiro e do Paraíso
A Praia do Carvoeiro é uma praia de pescadores, dispõe de uma pequena baía de águas transparentes, e é abrigada e protegida pelas arribas.




No local podem alugar-se barcos para visitar às grutas e as praias isoladas. A Praia do Paraíso localiza-se logo a seguir, é uma praia pequenina cujo acesso é feito por uma enorme escadaria e também ela fica protegida pelas escarpas.




Foram uns dias magníficos, num espaço bonito e passados com alegria, saúde e boa disposição.




“ Em vão cultivaremos ao longe a felicidade se não a cultivamos dentro de nós mesmos” Jean-Jacques Rousseau

terça-feira, 16 de junho de 2009

Nascer - Milagre da vida

O nascimento é um milagre da vida, e ontem 16 de Junho de 2009, às 21 horas, mais um “anjo” desceu à terra, seu nome é Martim .



Passo durante a semana, mais tempo útil no emprego, do que em casa, por isso é fundamental para me sentir bem pessoal e profissionalmente, ter um bom ambiente de trabalho.
Graças a Deus, trabalho numa equipa espectacular, para mim não são só colegas são amigos.

Artur, Rafaela e Eu

Sou a pessoa com mais idade da equipa (quase 50 anitos, já são alguns) e digo muitas vezes por graça, que elas (Adriana, Rafaela e Joana) são as minhas filhas adoptivas, pois sou da idade das suas mães.


Hoje uma das “minhas meninas” a Rafa, foi mãe. Acompanhei toda a sua gravidez e estou muito feliz, por tudo ter corrido bem, ela é uma miúda incrível, inteligente, trabalhadora, muito humana e sei que vai ser uma mãe magnífica.


Que o sorriso de alegria e felicidade que ela tinha no seu rosto, no dia em que tiramos estas fotos (inicio de Maio 2009), se mantenha eternamente.

Para o Martim e para a sua família
, eu desejo do fundo do coração as maiores felicidades, que a vida lhes sorria sempre e que todos os seus sonhos se tornem realidade.



“Um nascimento representa o princípio de tudo - é o milagre do presente e a esperança do futuro.”

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Festas dos Santos Populares - Tradições que o tempo não apagou


Há tradições que devemos manter vivas, pois elas estão intimamente ligadas ao nosso património cultural e histórico.
No dia 10 de Junho celebra-se o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. É um tributo à data do falecimento de Luís Vaz de Camões em 1580, relembrando ao mesmo tempo os feitos passados do povo lusitano e também as comunidades portuguesas, espalhadas por esse mundo fora, festejando o vínculo, que une os portugueses à sua cultura e história.

Junho é também o mês por excelência dos santos populares, em que os bairros mais típicos e antigos das cidades, enfeitam-se de cor e o ambiente é de intensa alegria.
Nestes dias, os reis da festa são as sardinhas, as marchas e os manjericos, esquecemos as tristezas e os problemas e sentimo-nos contagiar com a alegria que paira no ar.
Há sempre bailaricos, balões que sobem no ar, as fachadas das casas (janelas e varandas) dalgumas ruas, na zona mais antiga, são enfeitadas.


Primeiro vem o Santo António, no dia 13; segue-se o S. João, no dia 24; e, para acabar as festas, no dia 29 comemora-se o S. Pedro. E lá diz a cantiga, também ela popular: «Santo António já se acabou, o S. Pedro está a acabar, S. João, S. João, dá cá um balão para eu brincar.» Santo António é o Santo Patrono da cidade de Lisboa, nasceu nesta cidade no século XII, no ano de 1195 e faleceu em Pádua, Itália a 13 de Junho de 1231.
Santo António é conhecido como Patrono dos casamentos; ainda hoje ele "abençoa" os noivos, num Evento organizado pela câmara municipal, denominado por: "As noivas de Santo António". Este Evento contempla os casais que queiram contrair o seu Matrimónio no dia 12 de Junho e concorrem, mediante um regulamento próprio.

Em Lisboa os arraias pelo Santo António, são comemorados na noite de 12 para 13 de Junho e num tempo de alegria, não faltam os foguetes, manjericos, os arraiais de sardinha assada e bifanas, bailaricos nos bairros mais tradicionais e não podemos esquecer os desfiles das marchas populares pela avenida.


Este ambiente de grande entusiasmo e euforia estende-se ao Porto, onde o santo que baptizou Cristo não tem mãos a medir na noite de 23 para 24.
O Santo Patrono da cidade Invicta do Porto, é o São João nasceu nesta cidade em 1799 e faleceu em Lisboa em 1854. É comemorado na noite de 23 para 24 de Junho.
Num tempo de manjericos, não faltam os alhos-porros para bater nas cabeças de quem passeia, mais recentemente os martelinhos e os raminhos de flores que se dão a cheirar a quem passa. Correm-se as ruas, dança-se não importa com quem, soltam-se os cantares e as ruas do Porto, sobretudo as mais características, enchem-se de crianças a pedirem mais uns tostões em homenagem ao S. João.


S. Pedro nasceu e faleceu no século I e acompanhou Cristo tornando-se num dos seus Apóstolos. As festas em sua homenagem a 29 de Junho, marcam o fim do mês e das festas. Agora há que começar a preparar os festejos do próximo ano.


Estas tradições importantes do nosso país, trazem até nós muitos estrangeiros, curiosos dos costumes nacionais. É importante continuarmos a manter as tradições que fazem parte das nossas raízes e história.


“A alegria partilhada é uma alegria dobrada.” John Ray

terça-feira, 2 de junho de 2009

Primavera


A minha homenagem à Primavera



Não podia deixar passar esta época tão magnífica, sem lhe prestar a minha sincera homenagem. Desce criança que me lembro, de desejar intensamente a chegada da Primavera e com ela o acordar das árvores, do seu sono invernal, brindando-nos novamente com o esplendor das suas copas e o renascer das flores, que nos presenteiam com as suas múltiplas cores e odores.

Quando era pequena, perto da minha casa haviam campos de cultivo, que se cobriam de todas as cores na altura da Primavera. Embora a minha mãe me avisasse, que não devia ir para os terrenos, pois pisava os cereais e o dono não gostava (como era lógico), era quase impossível eu conseguir resistir, pois era como se as flores me chamassem. Eu tentava fazer o menor estrago possível, apanhava as que podia rapidamente e corria para casa, toda feliz. Sabia que ia ouvir novamente a minha mãe, mas também sabia que ela me iria perdoar, pois conhecia claramente o meu sentimento em relação às flores.

Hoje, contínuo a ficar com os olhos brilhantes, quando vejo um campo florido, um jardim, um canteiro com flores ou simplesmente uma florista.
Quando não é possível eu contemplar directamente a Natureza, basta um pensamento ou um olhar por uma fotografia, para me sentir mais calma, mais tranquila, sentindo a minha paz interior a voltar novamente.

Obrigado Primavera.

"Depois do Inverno, morte figurada,
A primavera, uma assunção de flores.
A vida
Renascida
E celebrada
Num festival de pétalas e cores."

Miguel Torga


Orkutei.com.br



"Há uma primavera em cada vida: é preciso cantá-la assim florida, pois se Deus nos deu voz, foi para cantar! E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada que seja a minha noite uma alvorada, que me saiba perder...para me encontrar...." Florbela Espanca

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Dia da Criança



Hoje é o Dia da Criança, para todas as crianças do Universo eu desejo um dia muito feliz.





A Declaração dos Direitos da criança, adoptada pelas Nações Unidas em 20 de Novembro de 1959, tem 10 princípios que devem ser respeitados por todos, para que as crianças possam viver dignamente com amor, respeito e carinho.

Nunca é demais relembrar, " a Humanidade deve às crianças o melhor que tem para dar"

1º Princípio
Toda criança e jovem com menos de 18 anos, está abrangida pelos direitosescritos nessa convenção, sem nenhuma discriminação de raça, cor, sexo, língua, religião, país de origem, classe social ou situação económica. Toda e qualquer criança do mundo deve ter seus direitos respeitados.



2º Princípio
Todas as crianças têm direito a protecção especial e a todas as facilidades e oportunidades para se desenvolver plenamente, com liberdade e dignidade. As leis deverão ter em conta os melhores interesses da criança.

3º Princípio
Desde o dia em que nasce, toda a criança tem direito a um nome e uma nacionalidade, ou seja, ser cidadão de um país.



4º Princípio
A criança tem direito a crescer e criar-se com saúde, alimentação, habitação, recreação e assistência médica adequadas, e à mãe devem ser proporcionados cuidados e protecção especiais, incluindo cuidados médicos antes e depois do parto.

5º Princípio
A criança incapacitada física ou mentalmente tem direito à educação e cuidados especiais.


6º Princípio
A criança tem direito ao amor e à compreensão, e deve crescer, sempre que possível, sob a protecção dos pais, num ambiente de afecto e de segurança moral e material para desenvolver a sua personalidade. A sociedade e as autoridades públicas devem propiciar cuidados especiais às crianças sem família e àquelas que carecem de meios adequados de subsistência. É desejável a prestação de ajuda oficial e de outra natureza em prol da manutenção dos filhos de famílias numerosas.


7º Princípio
A criança tem direito à educação, que deve ser gratuita e obrigatória, pelo menos nos graus elementares. Deve ser-lhe ministrada uma educação que promova a sua cultura e lhe permita, em condições de igualdade de oportunidades, desenvolver as suas aptidões mentais, o seu sentido de responsabilidade moral e social e tornar-se um membro útil à sociedade.O interesse superior da criança deve ser o princípio directivo de quem tem a responsabilidade da sua educação e orientação, responsabilidade essa que cabe, em primeiro lugar, aos seus pais.
A criança deve ter plena oportunidade para brincar e para se dedicar a actividades recreativas. A sociedade e as autoridades públicas deverão esforçar-se por promover o gozo destes direitos.

8º Princípio
A criança deve, em todas as circunstâncias, ser das primeiras a beneficiar de protecção e socorro.

9º Princípio
A criança deve ser protegida contra todas as formas de abandono, crueldade e exploração, e não deverá ser objecto de qualquer tipo de tráfico. A criança não deverá ser admitida ao emprego antes de uma idade mínima adequada, e em caso algum será permitido que se dedique a uma ocupação ou emprego que possa prejudicar a sua saúde e impedir o seu desenvolvimento físico, mental e moral.



10º Princípio

A criança deve ser protegida contra as práticas que possam fomentar a discriminação racial, religiosa ou de qualquer outra natureza. Deve ser educada num espírito de compreensão, tolerância, amizade entre os povos, paz e fraternidade universal, e com plena consciência de que deve devotar as suas energias e aptidões ao serviço dos seus semelhantes.

Se tudo for cumprido, no futuro as crianças poderão viver em sociedade, como bons adultos e contribuir para que haja um futuro mais justo, com mais amor e onde todos, mas principalmente as crianças, consigam viver felizes!

WebRecados.com - Recados Animados para seu Orkut


"Grande Homem é aquele que não perdeu o Coração de Criança."