sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Orquídeas uma flor especial


As Orquídeas significam o amor, a beleza, o luxo, e a força.



Historicamente, as orquídeas carregavam propriedades protectoras e cura de doenças. Os Astecas bebiam uma mistura de orquídeas com chocolate e baunilha para lhes dar poder e força, já os Chineses mastigavam o sulco das flores porque acreditavam que os curaria de doenças pulmonares.



Hoje, os significados principais das orquídeas são o simbolismo à beleza rara e a delicadeza dos seus encantos e misticismo que deliciam os que as recebem, e poucas são as flores capazes de exprimir estes sentimentos.



As orquídeas são um tipo elegante de flor, sendo o presente perfeito para muitas ocasiões. A sua aparência graciosa extrai a atenção imediata, e por ser uma flor exótica, invoca um sentido de refinamento e de inocência.



Como existem muitas variedades de orquídeas, o número total de espécies oscila a volta de 35.000, é sempre possível encontrar a planta que expresse a mensagem exacta que se pretende transmitir, seja para agradecer alguém, um Feliz Aniversário, Nascimento de uma Criança, Romance, entre outros.

Supõe-se que a história da cultura das orquídeas tenha começado no extremo oriente, sobretudo no Japão e na China, há cerca de 3.000/4.000 anos. A palavra chinesa para orquídea (lan) já aparece no herbário chinês desde então.

A primeira referência directa à orquídea encontrada foi feita pelo imperador chinês Sheng Nung, ao dar alguns conselhos sobre o uso do Dendobrium com finalidade medicinal.


Confucius (551 - 479 ac. ) também fez referência ao perfume das orquídeas.
No ocidente, a referência mais antiga é encontrada em Theophrastus, aluno de Aristóteles, considerado por muitos como pai da botânica.



Segundo alguns estudiosos, a primeira orquídea tropical a ser cultivada na Europa foi uma espécie das Bahamas, do gênero Bletia (Bletia verecunda) e floresceu em 1732, na Inglaterra. Outros indicam como sendo a Brassavola nodosa, no século XVII, na Holanda.


Embora sejam catalogadas geralmente como flores tropicais, as orquídeas crescem naturalmente em quase todo o tipo de clima.

Apesar de sua versatilidade, há algo distintamente exótico sobre as orquídeas, são, segundo especialistas, consideradas uma das flores mais evoluídas do mundo, pela distinção sexual e beleza.

Das muitas variedades de orquídeas, as mais comuns são a Phalaenopsis, Cymbidium e Dendrobium e são as mais produzidas.

A beleza e a vivacidade das orquídeas fazem desta flor uma das mais apreciadas no mundo.



A dificuldade do cultivo de orquídeas reside em manter as condições atmosféricas exactas e efetuar a polinização cuidadosa dos exemplares de forma a garantir uma reprodução bem sucedida e que produza uma variedade saudável e controlada das plantas.



O tipo de solo; a pureza da água; a frequência com que serão regadas; a humidade do ar; a espécie que melhor se adapta à região em que será cultivada e o tipo de adubação a ser utilizado são alguns dos factores a serem levados em consideração.

A plantação ou Divisão deve ser feita quando a planta estiver emitindo raízes novas, o que se percebe pelas pontas verdes, não importando a época, inverno ou verão.
Quando for dividir a planta, a muda deve ter no mínimo três bolbos, tendo-se o cuidado de não machucar as raízes vivas, o que se consegue molhando-as, pois ficam mais maleáveis. Flambeie sempre com uma chama (de um isqueiro, por ex.) o instrumento que vai usar para dividir a planta, afim de evitar vírus.
 No caso de orquídeas monopodiais, como Vanda, Renanthera, Rynchostylis e outras, que soltam mudas novas pelas laterais, devem-se esperar que emitam pelo menos duas raízes,para,então separar da planta mãe.

Luz: O sitio ideal é perto de uma janela com boa fonte de luz, sempre evitando o sol directo. Iluminação excessiva causa o amarelecimento e enrugamento das folhas e os rebentos novos endurecem e param o crescimento. Falta de luz as plantas enfraquecem, a formação dos tecidos lenhosos prossegue com muito custo, a floração diminui.



Humidade: A humidade relativa do ar ( quantidade de vapor d’água existente na atmosfera) nunca deve estar abaixo de 30%, caso contrário, as plantas se desidratarão rapidamente. Em dias quentes, a humidade relativa do ar é menor , por isso é necessário manter o ambiente húmido e molhar não apenas a planta, mas também o próprio ambiente. A água deve ser borrifada de preferência no início da manhã, uma vez por semana se a planta estiver em local húmido.


Rega: Não se deve regar em demasia as orquídeas, de um modo geral são plantas que toleram mais a estiagem do que a rega constante. Deve-se regar apenas quando a mistura estiver seca. Regue com maior abundância durante os dias quentes. Nas estações mais frias, reduza a rega. Para verificar se a mistura está seca colocar o dedo na mistura e sentirá se está húmido ou não, se estiver seca, regue até escorrer; mas lembre-se: EXCESSO DE ÁGUA MATA!



Adubação: As orquídeas necessitam de alimento como qualquer outra planta. Quando o adubo for líquido, diluir um mililitro em um litro d’água. Uma seringa de injecção é um medidor prático. Quando for sólido, mas solúvel em água, diluir uma colher de chá em um litro de água numa frequência de uma vez por semana. As orquídeas necessitam de pouco alimento e por isso o excesso de fertilizantes pode queimá-las e inclusive matá-las.


Floração: De um modo geral, cada espécie tem sua época de floração que é uma vez por ano.

Convém marcar a época de floração de cada espécie, pois, se não florescer nessa época, é porque há algo errado com a planta. Por ex., em Janeiro , temos a floração da C. granulosa, C. bicolor, C. guttata. Em abril , temos a C. violácea, C. luteola, L. perrine, C. bowringiana.

Em Novembro temos C.warneri, L. purpurata, C. gaskeliana. Uma floração bem sucedida depende da capacidade de o jardineiro manter rigorosamente as condições adequadas.



Após o fim da floração, pode-se fazer a retirada manual das flores secas e podar a haste com tesoura esterilizada em fogo.

As Orquídeas são flores belíssimas, exóticas e que inspiram os sentimentos mais profundos dos corações apaixonados e das pessoas que querem demonstrar uma afeição especial por alguém. Flores capazes de seduzir pelo olhar e de arrebatar pelo coração com sua beleza, colorido fantástico e sua aura de mistério e romantismo.



Fontes e Fotos: “Mundodeflores”, “Wikipedia”, "PlantasdeInterior”, “JardimdeFlores”. “orquideana.com.br”, outros net.



"A terra sorri nas flores." (E. E. Cummings)

3 comentários:

  1. amei vc fala das orquidea com coraçôa
    emuito bom agnt encontra pessoas assim fk com deus

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pela sua mensagem.
    Eu adoro ver, sentir e apreciar a natureza e em particular as Flores, por isso nunca me canso de escrever sobre este tema.
    Volte sempre e espero que continue a gostar do meu "cantinho".
    Maria

    ResponderEliminar
  3. EU QUE AGRADEÇO.....TIVE UM IMENSO PRAZER EM CONHECER.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.