sábado, 3 de dezembro de 2011

Balada da neve - Poema de Augusto Gil





Balada da neve

Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho…

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria…
. Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traça
na brancura do caminho…

Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
duns pezitos de criança…

E descalcinhos, doridos…
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem definidos,
depois, em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!…

Que quem já é pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!…
Porque padecem assim?!…

E uma infinita tristeza,
uma funda turbação
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
e cai no meu coração.

Augusto Gil


"Poesia é quando uma emoção encontra o seu pensamento e o pensamento encontra palavras." (Robert Frost)

8 comentários:

  1. Querida Maria!

    Quando cai no coracão flui na caneta do poeta.
    Lindo poema.

    Minha mãe está passando por momentos cruciais que só com corticóides que alivia um pouco, mas a taxa de leucócitos é assustadora e a confiança em Deus é que nos ampara.
    Grata pelo carinho.
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. º°♥❤ Obrigada, amiga.
    ❤ Li essa poesia uma única vez, decorei a primeira estrofe porque fiquei impressionada com os pezinhos no caminho (nunca vi neve mas minha mãe disse que era igual gelo).
    Não sabia quem era o autor mas agora a encontro no seu blog... maravilhoso achado!...
    º°❤ Beijinhos.
    ♥❤ Brasil.

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga

    Poema belo
    e ao mesmo tempo
    tão intimista...

    Cair neve no coração...
    Haverá maior tristeza?

    Alegrias plenas
    para ti,
    e para o mundo.

    ResponderEliminar
  4. Harmoniosa, a sua poesia.
    Interessante.
    Passei aqui lendo para lhe desejar um domingo agradavel, e lhe deixar um abraço abrasileirado
    Felicidades, eternas

    ResponderEliminar
  5. Um lindo triste, essa poesia de Augusto Gil. E pra complementar o pensamento de Robert Frost digo que "poemas são brumas, que abrem a passagem para chegar até onde a essência persiste em SER..." Tenha um lindo domingo querida. Bjs.

    ResponderEliminar
  6. Poema de doce tristeza...Querida Maria, tenha um domingo pleno de paz. Beijos!

    ResponderEliminar
  7. Se um dia tem 24 horas,
    e uma hora 60 minutos,
    deixemos de fora horas,
    amemos todos os segundos.

    Parabéns pelo magnífico espaço de amor, harmonia e ar puro!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.